EUVÍ: O furacão Sandy elegeu Obama?


Enquanto os republicanos estão olhando pro céu se perguntando como perderam para um presidente com um retrospecto tão ruim na economia , a resposta para suas divagações pode morar nas próprias nuvens do céu, na forma do furacão Sandy. A eleição de 2012 era a mais importante de todas para eles porque essa eleição definiria a escolha entre duas visões diferentes do que seria a América. O Estados Unidos estavam em um cruzamento em que poderiam escolher entre a independência do Estado e o invidualismo que fizeram os Estados Unidos serem quem eles são hoje e o coletivismo de um Estado forte distribuidor de riqueza, que é o caminho que a Europa trilhou pós-guerra.

Os americanos claramente mostraram que preferem um Estado forte para ficar do lado deles nesse período de crise, além do mais, se o Estado socorre os bancos e as grandes montadoras, porque não iria socorrer as pessoas comuns?

Para os republicanos fica um sentimento de derrota muito grande, pois eles não perderam uma eleição, eles perderam toda uma concepção de país na qual eles sempre acreditaram. A realidade é que a América em que eles nasceram não existe mais. Com a chegada de cada vez mais imigrantes do terceiro mundo, a América perdeu a proporção de pessoas que acreditava que o excepcionalismo americano e liberalismo econômico eram a receita de bolo que traria o crescimento eternamente. Algo interessante é que os americanos se isolaram no mundo com seu pensamento econômico liberal enquanto todo o mundo adotou o kenesianismo. Será que todo o mundo está errado e só os americanos estão certos?

A eleição de 2012 definia muita coisa e essas coisas foram definidas, como Obama gosta de falar:”Eleições têm consequências e amigo, eu venci”. Agora os republicanos que tomaram um supositório explosivo na eleição vão ter que aceitar que as medidas socializantes de Obama agora são irreversíveis e resta para eles rezar para que nenhum ministro do supremo americano morra nos próximos 4 anos, porque senão Obama pode até colocar ministros liberais que podem mudar a constituição.

O americano que acreditam que deus realmente interfere nos acontecimentos do país não podem reclamar de Obama, pois o presidente passou por uma primária sangrenta contra a favorita Hillary Clinton e foi incrivelmente ajudado por um fenômeno da natureza, o furacão Sandy. Como eu havia previsto, o furacão ajudou Obama em várias instâncias, vamos numerá-las:

1- Romney estava crescendo nas pesquisas depois dos debates, o furacão paralisou o crescimento de Romney e fez com que a eleição voltasse ao patamar anterior aos dos debates, pois a imprensa parou de dar voz a campanha e apenas mostrou como Obama lidava com a crise. A campanha dos dois candidatos parou nos 3 dias que sucederam a chegada do furacão, isso foi fatal para Romney.

2- Obama ao lado do governador republicano de Nova Jersey lidando com os estragos do furacão mostrou que Obama poderia trabalhar com líderes da oposição quando necessário. Obama fez o que um verdadeiro líder deveria fazer. O governador republicano Chris Christie não mediu palavras para agradecer a grande liderança de Obama na crise provocada pelo furacão. No final das contas, o republicano Christie acabou sendo o maior cabo eleitoral de Obama, mas isso se deu porque ele precisava das verbas que só Obama poderia dar. Ele era um refém, assim como o prefeito de Nova Iorque Michael Bloomberg, que também apoiou Obama depois do furacão.

3- Romney era a favor de que o governo federal não se envolvesse na ajuda aos desastres e repassasse essa atribuição para os estados. O furacão mostrou como um Estado forte era NECESSÁRIO numa tragédia de proporções bíblicas. Ponto para Obama. Mas se Romney tivesse ganho, nunca um presidente poderia ter influenciado um governador por causa de verbas para ajudar num desastre, uma vez que seria atribuições dos próprios estados e não do governo federal.

4- A imprensa não exitou nem por um segundo em mostrar como Obama teria lidado como esse furacão de forma melhor do que Bush lidou com o Katrina. A mídia fez o seu papel de fazer uma cobertura sensacionalista e parcial que ajudou Obama de forma real.

5- Se o furacão não tivesse ocorrido, a imprensa americana seria obrigada a perguntar a Obama sobre o porquê de sua inércia em relação a morte do embaixador americano na Líbia, que mandou dias antes de sua morte um memorando a Casa Branca alertando que haveria um atentado no dia do 11 de setembro e pedindo um reforço na segurança.

6- Uma eleição que deveria ser pautada nos grandes assuntos foi pautada nos pequenos assuntos. Dos 9 milhões de eleitores que afirmaram que decidiram o voto nas última semana, 42% disseram que o furacão foi importante para a escolha de seus votos. Isso explica os 3 milhões de votos de vantagem que Obama teria. O furacão só perdeu para economia na escolha dos temas mais importantes dessa eleição para escolha do voto. Romney tinha 7 pontos de vantagem sobre Obama na Gallup antes do desastre, após o desastre o instituto de pesquisa parou de fazer pesquisas por causa do furacão.

Por mais que alguns preconceituosos alertem que 3 milhões de republicanos ficaram em casa e por isso Romney teria perdido, isso é uma falácia, pois esses republicanos não estavam concentrados nos estados que definiram a eleição, eles moravam em estados que estavam ganhos para Romney e nem se deram o trabalho de sair de casa para votar. Obama se sagra como um Lula americano, um homem reeleito por sua imagem e pelo o que ele representava, um homem que não podia entra pra história como um fracassado. Claramente, na América obamista, os takers ultrapassaram os makers.

Obama de fato ganhou pontos como o furacão e teve uma atuação exemplar na crise provocada pelo furacão. O furacão Sandy entrou em território americano e presenteou a América com um rastro de destruição horroroso, mas o maior estrago que o Sandy pode ter causado pode ser concluído se Obama não salvar o país do desemprego e da dívida crescente. O Sandy pode ser o fenômeno da natureza enviado pelos deuses para que os Estados Unidos escolhesse qual dos dois caminhos ele deveria optar.

Sandy acabou por ser o maior furacão da história dos Estados Unidos.Ele foi o único que ajudou a definir qual seria o presidente do país mais poderoso do mundo. Os republicanos podem se culpar por ter escolhido um moderado, podem se culpar por serem radicais, podem se culpar pelo infeliz do Bush, podem se culpar pelas guerras que provocaram, podem se culpar pela campanha morna que fizeram contra Obama. Enfim, podem se culpar por tudo, mas não podem se culpar a natureza por ter mandado esse furacão.

O maior estrago que o Sandy pode provocar ainda está por vir.

 

 

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s