Aborto, 10 motivos para ser contra, 10 motivos para ser a favor


Não há assunto mais ingrato pra se discutir com colegas e amigos de ideologias diferentes que o aborto. Sempre me disseram que política, futebol e religião não se discutem. Pois bem, vamos discutir o aborto.

Pois bem, já reparei que tem gente que se exalta com facilidade ao debater o tema com quem pensa diferente, nenhum assunto sintetiza tão bem o choque de valores e gerações.

As pessoas chamam as outras de fanáticas religiosas ou de assassinas de acordo com a posição ideológica. Existe também uma confusão com relação a religião das pessoas, se alguém é religioso e é contra o aborto, a pessoa está necessariamente impondo sua religião a outros, como se todos os argumentos para ser contra fossem argumentos religiosos.

Se a pessoa é a favor, é tida como uma pessoa mundana, sem caráter, sem amor ou carinho a vida alheia, como se não houvessem situações que obrigam as pessoas a fazer esta difícil decisão.

Existe uma diferença entre ser a favor do aborto e ser a favor da legalização do aborto, uma significa ser a favor de envenenar e triturar o cérebro de fetos indefesos; a outra é ser a favor de legalizar a primeira em algumas ou em todas a situações mesmo que se ache ou não que é um ato deplorável.

Numa sociedade onde o sexo casual e deliberado é promovido pela mídia e por setores de uma sociedade hipócrita. Muitas pessoas ficam sujeitas a ter um filho indesejado e são obrigadas a ter de criar uma criança só porque a “sociedade hipócrita” assim deseja.


Existe uma infeliz nomenclatura para denominar aqueles que são contra o aborto, são chamados de “pró-vida”, como se os outros não fossem a favor da vida. Já os a favor do aborto são chamados de “pró-escolha”, que é exatamente o que negam aos abortados, qualquer escolha.

Então chega de amorzinho e vamos direto ao assunto, antes de qualquer coisa, vivemos num Estado laico, então, nada de argumentos meramente religiosos.

Motivos para ser favorável à descriminalização do aborto:

1-  A mulher tem direito de fazer O QUE QUISER com o próprio corpo, tem o direito fazer suas próprias escolhas e viver como desejar, pois viver sem poder escolher não é nada mais nada menos do que transformar a vida numa prisão das circunstâncias.

2- Uma pesquisa feita em Nova Iorque constatou que depois da legalização do aborto, os índices de criminalidade diminuíram, menos pessoas pobres e indesejadas, menos crimes, menos gastos com saúde, educação, etc. Menos pobres é menos pobreza.

3- Com a criminalização do aborto, as mulheres ricas vão para clínicas privadas, onde são muito bem tratadas, e as pobres são obrigadas a ir a lugares sem as mínimas condições necessárias. Logo, as ricas são bem cuidadas e as pobres sofrem risco de vida.

4- Como dizem muitos, a vida do feto não merece ser respeitada, não a nível de um ser humano, a vida pela lei começa quando o feto sai da barriga da mãe com vida, ali começam seus direitos.

No aborto por nascimento parcial, o médico pega o feto pelo pé e antes de a cabeça passar ele a perfura, segundo a lei isso é aborto, não assassinato.

5- A super-população traz uma série de problemas, entre eles, a falta de recursos, que leva uma enorme quantidade de pessoas a viver na miséria.

6- Uma mulher não deveria gerar uma gravidez que não desejou, se uma mulher tomou todos os cuidados e usou os metódos contraceptivos, ao se ver vítima do destino, tendo uma gravidez indesejada deveria poder interromper a gravidez. Se não há dolo, não deve haver consequência.

7- Um filho requer AMOR e carinho, uma criança que nasce de uma gravidez indesejada  pode vir a ser vítima de frustrações precoces.

8- A criminalização do aborto é mais um instrumento de opressão aos direitos das mulheres.

9- Muitas mulheres vítimas de estupro, são obrigadas a carregar no ventre um doloroso fardo que a remeterá para sempre do violência que sofreu. Nesse caso, a mukher não deve prosseguir com uma gestação indesejada só por causa da opinião da sociedade.

10- As mulheres estão iniciando a vida sexual cada vez mais cedo, quando engravidam jovens, são obrigadas a perder toda a sua juventude para criar de uma criança que muitas vezes nem pai presente terá. A gravidez na adolescência compromete os estudos e a carreira da jovem. Se o aborto foi legalizado, essa mazela seria sanada.

Motivos para ser contrário à descriminalização do aborto :

1- Caso você leia a constituição brasileira, ela assegura o direito a vida, o primeiro e mais importante direito. Sem o direito de viver não há o que se falar dos outros direitos, como o direito de expressão, ir e vir, de associação, de crença, etc.
1.1- A jurisprudência atual tende a crer que a vida começa na concepção, mesmo que a ciência ainda não tenha chegado numa conclusão quanto ao tema. Ainda nessa linha, o que nossa legislação proíbe é que um terceiro pratique o aborto, posto que, na prática, tanto o feto como a grávida são as vítimas do ato.
1.2- Para que ter direito de escolha se não há direito de viver, qualquer pessoa de bom senso reconhece que o direito de viver é mais importante quando comparado ao direito de escolher.

2- A partir da fecundação, é criado um novo ser que tem o DNA do pai e da mãe, é um ser diferente de qualquer outro existente no universo, único. Sua existência deveria ser respeitada, pois a única coisa que a separa de um adulto são os fatores nutrição e tempo.

3- Não ser a favor da vida seria em si só um ato hipócrita, uma vez que estamos negando a outros um direito de que nós mesmos gozamos sem que tenhamos pedido ou almejado a gozar. Seria um ato egoísta, uma vez que zelamos tanto por nossas vidas, mas desprezamos a vida alheia.
3.1-É inegável que a vida humana deve ser respeitada e não coisificada, como se o feto fosse um objeto que se destrói e depois se joga fora. Nem animais são tão desrespeitados. Aliás, defensores dos animais não são tão ridicularizados do que os que defendem os fetos.

4- Nos Estados Unidos, onde o aborto é legalizado, cerca de 4 em cada 5 mulheres que o requerem são negras ou latinas, o aborto nesse caso serveria para fazer uma limpeza social.
4.1- Nova Iorque diminuiu sua criminalidade por causa da legalização do aborto ou devido à revolução que a cidade sofreu na forma de encarar a violência, mais conhecida como tolerância zero?
4.2- Uma pessoa não pode ser impedida de nascer só por causa de sua condição social, etnia, origem, etc.

Pessoas ruins nascem em más condições, mas a GRANDE maioria das pessoas que nascem em más condições são pessoas íntegras e boas, vide as pessoas que passam por orfanatos ou crescem nas favelas. São todas bandidas ou são na sua maioria trabalhadores que encaram os obstáculos da vida? Pobres têm direito de viver, tanto quanto os ricos.

5- Com o aumento da expectativa de vida e diminuição da taxa de natalidade, em pouco tempo haverá um inversão na pirâmide demográfica, fazendo com que haja uma carência de pessoas que trabalhem para sustentar a previdência e seguridade social, mais pessoas seriam desejadas.

6- O aborto prejudica o corpo da mulher, além dela correr risco de MORRER, existe um aumento da probabilidade real da mulher após o aborto:
6.1. Sofrer de problemas de ordem psicológica,
6.2. Ter um aborto natural em futuras gestações,
6.3. Desenvolver câncer e outras doenças.

7- Em muitos casos, fetos guerreiros e heróicos sobrevivem às várias tentativas de aborto, uma vez que antes de nascer, já existe inteligência para poder brigar por suas próprias vidas. Infelizmente, a grande maioria desses fetos indefesos e inocentes carregam sequelas pelo resto de suas vidas.

A dor pode ser sentida a partir do terceiro mês de gravidez. O aborto consiste em sofrimento para um ser que nada fez para sofrer. Legalizar a prática é aceitar a injustiça contra quem só almeja o justo direito de nascer.

8-Toda a mulher tem direito de fazer suas decisões, de escolher quando ter filhos, de ter domínio sobre o próprio corpo! SIM! Metade dos fetos abortados são do sexo feminino e tem o direito de fazer suas decisões.

9- A mulher tem direito de fazer o que quiser com o próprio corpo. SIM! O. Feto não faz parte do corpo da mulher, ele não é um prolongamento do corpo da mulher, ele é um ser próprio que está instalado no corpo da mulher. Ele é o sujeito ativo.

O feto está dentro do corpo feminino e isso não faz com que seja parte dele, nem que a mulher tenha direito de retirá-lo a bel prazer como método contraceptivo.

Muitos alegam que o feto é um “invasor não convidado” e por isso dizem que a mulher teria o direito de expulsá-lo do seu corpo, matando-o. Imaginemos que, fazendo a mesma correlação um bebê invada o carro de uma mulher, poderia ela expulsá-lo do carro se este já estivesse em movimento, matando-o por consequência?

10- AMOR, sim, amor ao próximo, amor à vida do próximo, sentimento que não é exclusividade de nenhum grupo defensor de uma filosofia qualquer, pois é próprio do ser humano. Não devemos aceitar que seja feito com o feto o que não gostaríamos que fosse feito conosco.

Conclusões:

Serei honesto em dar minha opinião pessoal, sou contra a discriminação, mas respeito quem pensa diferente de mim.

No meu caso, minha mãe teve MUITA dificuldade de engravidar até conseguir me conceber, então fui muito bem desejado. No entanto, tenho pessoas próximas que praticaram abortos e carregam as cicatrizes na alma até hoje.

OBS:

Acredito que a gravidez possa ser paralisada em caso de estupro. Se o sexo a única condição para a concepção, quem não decidiu assumir o risco da concepção exercendo o ato sexual não deveria assumir as causas de tal ato sexual.

Creio que a gravidez deva ser paralisada quando as chances de sobrevivência do feto é mínima, já que a mulher sofre muito com uma gestação que pode vir a se tornar uma enorme frustração.

Acredito que a gravidez deva parar em caso de risco a vida da mãe. A mãe estabeleceu um círculo social de direitos, deveres e dependência; já o feto não.

Bem, devo terminar pedindo desculpas se fui muito “efusivo” nas minhas colocações na defesa do direito à vida,  é que eu posso defender a minha vida e aqueles dos quais estamos falando – se devem ou não viver – não podem…

OUTROS POSTS SOBRE ABORTO

Anúncios

115 comentários

  1. Gostei muito da sua posicao contra. Eu, pessoalmente, sou a favor, mas sua defesa pela vida me conquistou! Esta de parabens!

    Curtir

    • Muito obrigado pelo comentário. Também já fui indiferente à vida dessas vítimas da nossa sociedade. Devemos nos colocar mais no lugar do mais fracos e indefesos. O que vemos na imprensa é um apoio massivo ao aborto, de modo que a maioria das pessoas nunca vai escutar argumentos não-religiosos em defesa da vida. Todos devemos ter informações de ambos os lados para tomarmos a decisão que julgamos ser a certa.

      Curtir

      • No lado da minha família, todos já tiveram problemas psicológicos. Foram internados em sanatórios e alguns se mataram. Só se salvaram eu e minha irmã. Todos tem pressão alta, problemas de diabetes, problemas de natureza crônica, problemas físicos diversos, além de serem feios pra cacete. Do lado da família da minha namorada…fudeu. todo mundo, inclusive ela mesmo, tem problemas psicológicos, crônicos e tudo quanto mais se possa imaginar. Eu, desde já, escolho não ter filhos. Escolho adotar. minha decisão é sábia? ou sou apenas um idiota sem informação sobre o assunto?

        Curtir

      • Faria o mesmo se fosse você, Rafael. Sua decisão ao meu ver é moral e sensata. Colocar alguém planejadamente no mundo que certamente vai ter problemas aos quais você não poderia remediar seria imoral.

        Curtir

    • Na verdade você está equivocada em relação a lei quando cita que ”Como dizem muitos, a vida do feto não merece ser respeitada, não a nível de um ser humano, a vida pela lei começa quando o feto sai da barriga da mãe com vida, ali começam seus direitos.” O nascituro tem direitos antes mesmo a vinda. A vida começa a partir da atividade cerebral e este direito que a criança tem quando nasce é apenas um direito que surgiu a partir do do surgimento da atividade cerebral, é um direito adquirido. Sem cérebro não há vida assim para lei a vida começa e termina com o surgimento é o fim da atividade cerebral.
      E quando você coloca que a mulher é OBRIGADA a gerar uma criança do fruto de um estrupo está novamente se equivocando pois no Brasil não é permitido pena de morte, somente salvo em 3 casos 1º Guerra declarada, 2º gravidez resultante de estrupo, 3º aborto terapêutico ou seja o aborto é legal sim.
      E quando a gravidez precoce há DIVERSAS formas de prevenir, a primeira delas é o uso de preservativos, uso de pírulas, sexo é compromisso com a saúde com o corpo…
      E quanto a CF/88 ela assegura a Vida ainda que seja nascituro. No código penal artº 124 a 128 aborta melhor sobre as questões de penalização.

      Curtir

  2. Vc ganhou meu respeito e parece que não somente o meu. Sempre com argumentos, educação e expondo os dois lados.
    Tem umas questões que eu gostaria de conversar com vc a respeito.
    Se a maioria das mulheres nos EUA a passar por aborto é negra e latina, isso se deve mais ao machismo do que a uma limpeza social. Não é que eu não possa dizer que isso não é plausível. Mas, acho que a gravidez indesejada está de mãos dadas com a pobreza e a falta de instrução e o machismo que atinge em maioria a mulher negra e latina. Não é papo de feminista. De fato, a mulher negra sofre duplo preconceito. E se for latina nos EUA,Deus…coitada de vc. Latinos servem bem para vender, vender sexualidade. Negras , então, são mui esteriotipadas como sujas, e toda mulher suja é porca, toda mulher porca é fácil. Ela é sempre o vulcão, a passista da escola de samba, luxuriosa e promíscua. É maioria das mulheres pobres, sempre submissa e desvalorizada, desinformada,mal instruída.
    Acredito no machismo, na submissão, na falta de instrução e na instrução precária como motivo para tantas gravidezes indesejadas. Mas, enfim…não vou entrar em mais detalhes.
    “Metade dos fetos abortados são do sexo feminino e tem o direito de fazer suas decisões.”
    Ainda não consegui ver o que é, mas me parece ser um argumento falho. Até pelo fato de um feto não ser uma mulher formada. Então, eu poderia abortar somente os meninos e estaria sendo femista,sexista ou o que quizer chamar.
    Se o feto é um ser instalado no corpo da mulher, eu te pergunto se é justo deixar alguém se nutrir e viver através do meu corpo, sendo que o corpo é meu e eu não quero colocá-lo a disposição de ninguém?

    “Acredito que a gravidez possa ser paralisada em caso de estupro, uma vez que não houve qualquer dolo por parte da gestante em assumir o risco de engravidar. diferente da mulher que intencionalmente faz sexo com o parceiro e engravida sem querer, assumindo o risco de engravidar.””
    Se é intencional, não pode ser sem querer…hehehehe! O que há de errado em intencionalmente querer e fazer sexo?Cuidado com as pronunciações, meu nobre amigo.
    Por qual motivo é menos errado ou mais permissível abortar em caso de estupro? Um estupro justifica tirar um vida? Por qual motivo somente a mulher assumiu o risco da concepção? Não é preciso dois para gerar uma vida? Por qual motivo colocar uma criança como um castigo para uma mulher que transou e por ainda, cometeu a audácia de não se proteger? Percebe como há mais preconceito contra mulher por ela ter transado;por ela ter engravidado pois não se protegeu(nota que a obrigação parece ser só dela) e depois por ela querer abortar. São processos e julgamentos diferentes. E o que mais me deixa aborrecida é que as pessoas julgam as mulheres por transar e por não terem se protegido, ignorando o fato de que os homens também tem sua parcela de responsabilidade nessa gravidez indesejada.

    ” A mãe tem um círculo social e o feto não. Comparar duas vidas e decidir qual é a mais importante não é a questão, pois o bom senso implica em segurar o que está vivo e não quem ainda não nasceu.”

    A mulher que não quer levar uma gravidez adiante também tem um círculo social e mais complicações a assumir do que o feto.
    Esse é o motivo de eu achar que devemos descriminalizar o aborto. Nem toda mulher tem condições de ser mãe, e acho muito complicado jogar crianças em orfanatos ou exigir que a mulher geste essa criança de qualquer forma. Uma mulher não é um receptáculo de sêmen à disposição da sociedade. E mesmo que seja um número menor que o apresentado pela ONU, ainda há mulheres morrendo por causa disso e há outras 200 mil fazendo curetagem por causa de procedimentos mal feitos. E não me importa como a gravidez ocorreu, o bom senso me manda optar por quem está vivo e não por quem ainda não nasceu. E isso se aplica a todos os casos.
    E quem está vivo e pode fazer escolhas tem mais condições do que quem não nasceu. E tem mais responsabilidades.
    “a mulher sofre muito com uma gestação que pode vir a se tornar uma enorme frustração, a mulher deve decidir assumir o risco de continuar ou não uma gestação fadada ao fracasso.”
    Isso se dá com uma mulher que engravida sem ter planejado. E o que vc acha de um casal que se preveniu, mas cujo método escolhido falhou resultando em gravidez? Acha que houve dolo? Acha que assim é válido? Bom, vc usou o argumento do dolo,então,eu to seguindo a linha. Só questionamentos.
    Abraços!!

    Curtir

  3. 1- O alto aborto entre negros americanos se deve a gradidez na adolescência, pobreza, iniciação sexual precoce, famílias desestruturadas (ilegitimacy, mais de 70% dos negros já nascem sem ter os dois pais casados), cultura negra evidentemente sexualizante, frouxidão religiosa, etc. O número de aborto de mulheres WASP(White anglo saxon protestante, brancas, protestantes, loiras) não chega a 1%. Está explicado. WASPs geralmente tem família estruturada, valores fortes, educação forte, maior conservadorismo social. Logo, negros americanos fazem tanto sexo quanto WASPs, mas estes últimos se previnem muito mais.

    2- O sexo do feto já é definido perto da ovulação. Quem determina o sexo do bebê é o homem. O ambiente ácido das trompas repele esperma com potencial masculino. http://www.brasilescola.com/biologia/determinacao-sexo-bebes.htm
    O feto já tem sexo definido sim. Não existe feto de sexo indefinido. Ele já possui material genético para desenvolver seus aparelhos reprodutivos.

    3- O feto está geograficamente dentro do corpo da mulher, mas não faz parte dele. Ele é o sujeito ativo na gestação. Ele decide quando a mulher por exemplo vai ao banheiro e sente fome. Tanto não é parte do corpo da mulher que se não fosse a bolsa que o protege, seria expelido do corpo da mulher. Se é justo você alimentar um feto? Bem, o feto não é nenhuma lombriga. Creio que o feto merece ser tratado melhor que uma lombriga, não tendo sua existência vilipendiada apenas por mera vontade da gestante. Aliás, o natural é a mulher proteger o feto, por isso o corpo libera tantos hormônios para esse fim. Mas hoje em dia até a natureza feminina das mulheres deu lugar a essa lógica que faz de todos nós dignos de decidir ou não sobre os direitos alheios apenas porque os nossos estão implicados.

    4- Intencional é a disposição de praticar o ato sexual. Não creio que fazer sexo seja errado. Todos são lícitos. Mas a partir do momento em que você pratica um ato dolosamente, deve responder por suas consequências.

    5- Ainda vejo muito mais preconceito contra a vida do feto do que contra a mulher, mas admito que a mulher é o ponto mais fraco da equação. Na vida só devemos responder pesadamente pelo que fazemos com dolo. Uma estuprada não teve a opção ou escolha, ou até mesmo vontade de praticar sexo com seu estuprador. Sua gestação apenas iria traumatiza-la e premiaria o estuprador com o prosseguimento de seus genes. Pessoalmente, não optaria por aborto em caso de estupro. Essa é a minha opinião política. Nem todos pensam igual a mim. A estuprada foi vítima de um crime, não de uma eventualidade. Comparar uma mulher estuprada com uma mulher que teve a camisinha do namorado estourada tem um abismo de diferença. Uma teve escolha, logo responsabilidade por seus atos. Outra, teve sua integridade física, emocional e seu direita à vida ameaçados, não possuindo responsabilidade alguma pelos atos do estuprador.

    6- Homens tem tanta responsabilidade quanto as mulheres na gravidez. A diferença é que não será o corpo do homem que ficará 9 meses sob cuidados. Daí vem o preconceito, digo, natureza.

    7- Em caso de risco de perigo da mãe, é uma situação extrema, onde a lógica escolhe que a vida da mãe é mais importante. Se for uma mulher que não quiser ter a criança e correr perigo de vida, a nossa legislação já viabiliza a essa mulher um aborto seguro no sistema de saúde.

    8- Se nem toda mulher não ter condição de ser mãe justifica eliminar o feto, nem todo o ser humano tem condição de viver porque não foi premiado com uma gestante com condição de ficar com ele 9 meses na barriga. Logo, essa lógica instala a desigualdade e os privilégios, por parte do Estado, até no útero materno. Não é algo que uma sociedade justa e igualitária deva promover.

    9- Na questão do casal que se preveniu e engravido. ELES PRATIVARAM O FATO TÍPICO PARA A DECORRÊNCIA DE UMA GRAVIDEZ: SEXO. Todos sabemos que a camisinha tem falhas, do mesmo jeito que sabemos que uma casa protege da chuva mas tem goteiras. Acreditar que você não pode ser responsabilizado apenas porque se protegeu? Há uma parcela potencial de dolo. Se eu atiro pro alto no deserto, me previno olhando para os dois lados antes de atirar, e acabo matando alguém que apareceu de repente, pago pelo ato. Dolo potencial não exclui a responsabilidade,

    10- Tchau, volte se..

    Curtir

    • Não sei se vc entendeu bem o que eu falei. Acho que ficou mal explicado,talvez As negras praticam sexo tanto as wasps,mas são mais vítimas de falta de instrução,machismo e etc. Não é tão diferente do que vc falou. Mas, enfim… Já sabia que o homem determinava o sexo da criança, e ainda que haja material genético para desenvolver aparelhos reprodutivos, como poderíamos saber se é uma menina ou menino? Faremos aborto seletivo então. Argumentar isso é cair no vazio. É uma retórica que só faz fugir da questão. É como aquele argumento de que quem é favor do aborto já nasceu. Ora, para ser a favor ou contra algo é necessário , no mínimo, ter nascido, ser um ser pensante, ter um sistema nervoso. “Olha mulher, vc está se contrariando quando aborta uma menina.Pois, mulher tem direito de escolher o que fazer com o próprio corpo. Então,está sendo machista abortando uma mulher.” Então, vamos ter que escolher entre uma mulher e outra. Mas, tudo bem se eu abortar um homem? Quando digo que um feto não é uma mulher formada, quero dizer que não é uma pessoa formada, nem sabemos se é fêmea ou macho,eu nem acredito que teríamos como saber antes do tempo. Então, o jeito é fazer aborto seletivo.

      Curtir

      • Obrigado pelo comentário Joane, para não me repetir.
        1- O feto a partir da décima semana já pode ter sistema nervoso. Logo, sente até dor e consegue agonizar e tentar desviar da furadeira do aborteiro.
        2- Abortar um homem é tão ruim quanto uma mulher. Aborto seletivo é outra atrocidade. Metade dos fetos abortados são sim do sexo feminino. Logo, os mulheres que estão no ventre não tem direito a decidir sobre o corpo delas. Achar que a mulher pode abortar só porque não sabe o sexo do bebê é outra atrocidade. Todo bebê tem 50% de chances de ser do sexo feminino. Aborto é um crime contra a mulher, não a favor dela.

        Curtir

      • Qea, correção ao seu texto, a partir da QUINTA para a SEXTA semana, embriões possuem sistema nervoso e ondas cerebrais mesuráveis por aparelhos de eletroencefalograma.
        Praticamente TODOS os abortos no mundo ocorrem depois do embrião ter batimentos cardíacos e ter ondas cerebrais mesuráveis por eletroencefalografia.
        O aborto, sem duvida alguma, mata um ser humano que é dependente de outro ser humano por um determinado tempo.

        Essa é a aparência e os movimentos de um embrião/feto dentro do período permitido para a mãe escolher se esse ser humano (seu próprio filho) deve viver ou morrer:

        Curtir

  4. Claro que há um abismo de diferença entre uma pessoa que foi estuprada e uma camisinha rompida.
    Eu posso praticar o ato que pode levar à gravidez, mas se me protegi, como posso “ser punido por isso”? Não tira a minha responsabilidade, e me obriga ser mãe,pai de uma criança que eu não planejei? Não quero parecer rude, mas acho que é muito fácil falar :”Pessoalmente, não optaria por aborto em caso de estupro.” Principalmente quando não é com vc, mas respeito se vc pensa assim.
    Feto não é nenhuma lombriga. Isso é verdade. Mas, o argumento do o corpo é meu se encaixa nisso. Se o corpo é meu, eu posso escolher quem vai ficar perto dele, quem vai usufruir dele, a quem vou servir com ele. Em muitos casos, temos que fazer escolhas difíceis. Essa pode ser uma. Mas, a verdade é que mesmo que o feto esteja localizado geograficamente no corpo de uma mulher, isso ainda a torna hospedeira,ainda a torna apta – ainda que não concordemos com sua decisão – para decidir se ela quer ou não ter essa vida localizada geograficamente DENTRO DO CORPO DELA.
    Eu vejo as pessoas colocando gravidez como uma castigo para os que não se protegeram. Eu discordo,mas.ok!

    “Ainda vejo muito mais preconceito contra a vida do feto do que contra a mulher”
    Vc deveria começar a ouvir e ler mais as colocações das pessoas em relação à mulher e aí vai entender o que eu falo. A maioria das pessoas defende o feto e culpa a mulher pela gravidez.

    “Uma estuprada não teve a opção ou escolha, ou até mesmo vontade de praticar sexo com seu estuprador. Sua gestação apenas iria traumatiza-la”
    Vou dar uma resposta sua : com isso, não estaríamos dando ” lugar a essa lógica que faz de todos nós dignos de decidir ou não sobre os direitos alheios apenas porque os nossos estão implicados.”
    Acho que superei essa do risco de vida da mãe, eu nem citei isso como uma caso, mas ok!

    To tentando entender onde o Estado se encaixa nisso. Útero não é espaço público para as pessoas ou mesmo a lei podem sair decidindo tudo por aí. O Estado, a lei servem para que excessos não sejam cometidos. Imagina se alguém decidisse que é lícito abortar aos 7 meses? Mas, decidir se uma mulher deve ou não fazer algo que ela não quer, não deveria ser papel do Estado.O aborto é uma questão complicado. Já dei minha opinião sobre isso no caso dos abortos em malta. Mas, ainda assim, eu vejo isso como uma questão bem maior do que só proteger a vida.

    Se o homem tem tanta responsabilidade, deveria ser chamado a atenção sobre a falta de prevenção tanto quanto a mulher.
    Agora foi vc quem pegou pesado com essa coisa de teto e goteiras, de olhar para cima de disparar. Qual a intenção de atirar para cima? Há pessoas que optaram por ter sexo para muito mais do que procriação. E quero saber por qual motivo o aborto é aprovável,permitível em uns casos e em outros não. Vejo muita gente achando que é super pró-vida e que tá arrasando dizendo que é favor em caso de estupro, mas condena viementemente quem é a favor em casos de gravidez indesejada. Vejo pessoas a favor de guerras e de pena de morte dizendo que são pró-vida. Vejo pessoas falando que a mãe merece morrer, que quem é favor do aborto deveria ter sido abortado e ainda assim se achando super pró-vida. Como meu namorado vive repetindo ,dizem que a maior questão ética do homem ainda é decidir sobre a própria vida. Abraços!

    Curtir

    • Sucinto dessa vez.
      1- O útero da mulher está localizado dentro do nosso território e nossa constituição garante a vida de alguém em qualquer lugar possível. Seja num útero, seja no estômago de uma baleia. Vida humana é vida humana.

      2- Quanto aos pró-vida, são apenas pró-vida dos fetos do mesmo jeito que os pró-escolha são apenas pró-escolha da mulher. Há incoerências e todos somos livres para ser incoerentes. Até eu sou muitas vezes. Ainda acho que o direito a vida é maior que o direito a escolha. Sem vida não há escolha. Agora querem perverter a natureza dizendo que sem escolha não há vida. A vida alheia entra na loteria da vontade da gestante.

      3- Risco assumível não é inimputável. Isso que eu quis dizer de forma infeliz. Já preciso dormir. Aliás, desfrutarei de um prazer que nenhum desses fetos cuspidos chegará a imaginar que existe: vou dormir numa cama.

      Curtir

    • Realmente, o homem não é chamado a atenção quanto a isso tanto quanto a mulher; e isso é uma injustiça, pois deveria ser igualmente reprovado por isso. Afinal, história de alguém instruído fazer sexo sem proteção e depois abortar (ou seja, de ser irresponsável com a sua vida – como se DSTs não existissem – e com a do bebê), é ridícula, levando-se em conta a noção de responsabilidade pessoal. No caso de pessoas não instruídas, o defeito é por causa do Estado, e a solução é a educação sexual nas escolas, não o aborto.
      Outra coisa, no caso do uso da camisinha, a pessoa não está sendo “punida” por ter que esperar o nascimento do bebê; é simplesmente um reflexo de seus atos, que, como ela já sabia desde o início, poderiam resultar em um ser vivo. É uma chance que, como adulta e responsável pelo seu corpo (assim como você disse), vai ter que arcar durante certo tempo. Existem outros casos que são assim também, e de coisas que não são erradas, assim como o sexo: Se você imigrar para determinados países em situação de crise pode não conseguir voltar rapidamente ao local de origem, se beber, vai ter que aguentar a ressaca e se fizer um denúncia contra alguém, vai ter que prová-la. Toda ação pode provocar uma consequência negativa.
      Agora quanto ao fato de o feto estar geograficamente no corpo dela, isso não quer dizer que ela tenha direito sobre a vida dele. Até porque, no Direito, existem direitos superiores uns aos outros, e o direito de escolha que ela possui sobre os propósitos aos quais seu corpo se destina está abaixo do direito à vida da criança, a partir dos 18 dias, que é quando as primeiras células nervosas se formam (a morte é considerada somente quando é cerebral, a vida, idem). É como uma criança já nascida, por exemplo, onde ela é “propriedade privada” dos pais, mas o Estado interfere (aí está ele) para regular essas relações, impedindo coisas como castigos físicos, para falar de uma discussão recente (Lei da Palmada). O Estado deve interferir sim no que uma mulher (ou homem) quer se isso envolver machucar ou matar outro ser humano; o direito de uma pessoa vai até onde chega o do outro.
      No caso de estupro, isso é diferente, porque a partir do momento em que ela sofreu um atentado violento e o Estado não a protegeu, ele descumpriu seu papel. Todo ser humano tem direito à vida, liberdade e propriedade privada. O direito dela a vida (levando-se em conta a violência, tanto física e psicológica, de um estupro) e a liberdade (direito de escolha), nessa ocasião, foi desrespeitado.
      Quando ao caso da mãe, não compartilho das opiniões radicais que você colocou; sou contra o aborto, não contra a mulher que abortou, pois ela muitas vezes está desesperada, intimidada por familiares, e , no fundo, o assunto nunca deixa de ser algo doloroso. A ideia de mulheres sanguinárias que realizam aborto é falsa, a maioria das que fazem não teve acesso a instrução nem a coisas como laqueadura (ridiculamente difícil de conseguir no sistema público) e, por isso, nada mais são do que partes de uma sociedade complexa e machista, que muitas vezes as força a coisas como esta.

      Curtir

    • Obrigado pelo comentário.

      O interessante é que a maioria da nossa população não é a favor dessa atrocidade, mas nossa mídia é uníssona na defesa do aborto.

      Eles querem alienar a população. No Brasil a discussão é assim, um é a favor do aborto; o outro, mais a favor ainda. Quando eles trazem alguém para defender a vida quase sempre é um pastor ladrão ou um padre ligado a Opus Dei. Eles fazem isso para esteriotipar aqueles que são contra o aborto como radicais e fundamentalistas.

      Abraços.

      Curtir

  5. Gostei muito do seu post!
    Acabei de debater sobre esse assunto. Engraçado o que eu vejo, os homens com mais amor á vida rs, Sou a favor a vida, me deram ela e sou grata por viver ! Se tive o meu direito porque negar o do outro ?! Tudo na vida tem consequências e devemos encara-las .

    Curtir

  6. Olha… vou falar uma fita
    Eu era a favor do aborto, mas esses argumentos foram muito sólidos. Me tornei contra o aborto vc me convenceu kkk
    Mudar de opinião, é uma atitude dos sábios

    Curtir

  7. Quero deixar claro assim como o nosso amigo ao escrever esse post, é só a minha opinião e respeito opiniões e pensamentos contrários , afinal apenas debates sadios chegam a algum lugar. Mas penso que ser a favor da LEGALIZAÇÃO DO ABORTO não é exatamente ser a favor do ABORTO. Não estão pedindo nenhum tipo de apologia ao aborto , tanto que se pode comprovar que legal ou ilegal existem milhões de casos de aborto no Brasil.Então, se o aborto é legal e seguro: X fetos vão morrer. Nem mais, nem menos.
    Se o aborto é ilegal e inseguro: X fetos continuarão morrendo, mais um número Y de pessoas que morreram pelas consequências de terem tentado fazer um aborto ilegal e inseguro.
    Qual é a opção que salva mais vidas?
    No meu pensamento escolhe-se a opção que salva mais vidas. Escolhemos a opção que salva um maior número de pessoas. Independente de estas pessoas serem nascidas ou não. Independente destas pessoas serem ‘culpadas’ ou não, estigmatizadas pela sociedade ou não.
    Eu como mulher , não abortaria. Eu sou a favor da legalização do aborto, embora eu não ache que um aborto seja a melhor forma de se resolver uma gravidez indesejada.
    Eu não acho que abortar um feto seja algo bacana ,penso ser muito triste para uma mulher tirar de seu corpo algo que se tornará uma criança (na minha opinião, feto ainda não é um filho e matar um feto não é a mesma coisa que matar uma criança que já nasceu) e eu vejo o aborto como uma forma de agressão à mulher. Eu como mulher, só abortaria caso eu tivesse sido estuprada ou se eu corresse sério risco de morte (esses casos já são previstos em lei). Se eu fosse muito pobre, nem que eu tivesse que trabalhar duro em vários empregos para sustentar o filho, eu jamais abortaria um filho meu de um homem que, em algum momento da minha vida, eu desejei ter como companheiro.
    No entanto, eu não acho que a minha opinião deva se sobrepor às escolhas alheias e, se uma mulher quiser abortar por qualquer motivo e os demais familiares da criança que viria a nascer concordarem com o aborto (se eles discordarem, obviamente eles deveriam se comprometer em cuidar da criança no lugar da mãe biológica), ela deve ter esse direito.
    Felizmente, eu nasci em uma família que desejou o meu nascimento e me deu educação, carinho e as condições básicas para que eu crescesse saudável. Entretanto, se fosse para eu nascer em uma família que não me desejasse ter como filho e me visse como um fardo, eu preferiria nunca ter nascido, por isso não sou contra a legalização do aborto.

    Curtir

  8. olhando por esse lado isso parece ter um pouco de sentido, mais existe uma outra lógica, o quê acontece com a água da torneira se abrirmos totalmente sua válvula, ela dará a mesma quantidade de água em poucos segundos se estivesse parcialmente aberta? ficaria até meio esquisito um país que veta a pena de morte para criminosos hiper perigosos, dando a liberdade total para ceifar a vida de incontáveis bebês inocentes.

    Curtir

    • Não acho que isso seja valido para comparação. Acontece que você sendo contra ou a favor da pena de morte ela não acontece de forma alguma, sendo proibida por lei. O aborto é proibido da mesma forma, e ainda assim ele acontece. De que ainda eu ser contra quando vemos tantos casos ocorrendo mesmo com a proibição? Os abortos não vão deixar de acontecer porque você é contra, um fato triste, mas é a realidade.

      Curtir

      • O estupro acontece mesmo eu sendo contra e sendo proibido por lei.

        Seguindo a mesma lógica que você colocou em relação ao aborto, que também acontece mesmo sendo proibido, a quem poderia ser favorável a legalização do estupro.

        Curtir

      • mas castilho se fosse sua filha que sofrece de um extrupro por exempro vc comseguiria olhar para seu neto mas se comseguiria com que tipo de olhar ou mandaria ela abota

        Curtir

  9. Em. hipotese alguma eu sou a favor do aborto, o aborto e a morte de um ser que. gente nao tem entendimento que tem toda uma vida maravilhosa pra viver e que se vc por acidente rngravidou e nao queira seu filho dor pra uma adocao de alguem que vai da a esse filho uma vida digna , muitas falam prefiro matar do que da pq matar uma coisa tao linda por ingnorancia, por que nao doar ao inves de jogar no lixo como se nao fosse nada . Gostaria de entender estas mentes assassinas , esses monstros quem sao chamadas de miliamae por que na realidade nao sao maes.
    Ate uma cachorra e mas mae do que essas nem sei como dirigir a elas.
    Que Deus abencoe cada ser pequenino que tenha uma fa

    Curtir

  10. Sou a favor do aborto, pois acho que a pessoa que quer abortar sabe que não e a hora certa paea ter filhos seja por pela idade condições finançeira etc..pois acho que bem melhor aborto do que ter um bebê e jogar no lixo enterrar vivo atirar pela janela entree tantas outras coisas que vem acontecendo além das mulheres que vem morrendo a serem atendidas em clínicas clandestinas e despreparadas para atendelas

    Curtir

    • Só vale lembrar que nos países onde o aborto foi legalizado as clínicas clandestinas não desapareceram, vide o caso do Dr. Death nos EUA ano passado.

      Então esse seu argumento é meio furado.

      Abraços.

      Curtir

      • “Acho que a pessoa que quer abortar sabe que não e a hora certa para ter filhos”
        Se ela sabe, então pelo menos usasse a cabecinha né? Existem tantas coisas para previnir! Teve coragem de assumir, então tenha coragem de assumir! Teve idade pra fazer, tem idade pra cuidar de um filho!

        Curtir

    • Sexo também é responsabilidade, não tem essa de ter certeza ou não de levar uma gestação a diante por condições ou idade não, se teve responsabilidade pra fazer, tem que ter responsabilidade para assumir as consequências!

      Curtir

  11. Minha mãe me deixou vim ao mundo 😀 me deu direito a vida… pq eu tiraria esse direito de outro ser? sou homossexual e a favor da vida… já conheci tantas crianças que quase foram mortas dentro do útero… e hoje em dia são paraliticas , as mães choram e se arrependem de ter provocado algo tão cruel. ah, e não sou religiosa, mesmo assim contra, quem sou eu ou vc pra matar outro ser?

    Curtir

  12. Parabéns por vc ser contra o aborto. Eu sou contra qualquer tipo de aborto. Mesmo no caso de estupro. Acho que a pobre da mulher que ja sofreu com essa violencia terá que passar por outra violencia que é o aborto. Acho que ela deveria seguir com a gravidez e dar a criança que é inocente para adoção. Eu também acho que não devemos deixar DEUS fora desta decisão, afinal Ele é o responsável pelo milagre da vida. Eu não me importo de ser chamada de “fanática”, ao contrário eu me alegro, pois vejo que faço a diferença. Em relação as pessoas que são a favor deste ato hediondo eu as considero repugnantes e arrogantes. Explico: As mulheres que fazem o aborto em geral estão abadalas psicologicamente desesperadas, em pânico ( apesar que para mim não justifica o aborto). Agora as pessoas que defendem, principalmente essas “feministas” não estão sob essa pressão e mesmo assim deliberadamente defendem a morte dessa crianças indefesa.Mulher feminista de VERDADE para mim é aquela mãe que descobre estar com cancer durante a gravidez e se recusa a fazer quimioterapia para não prejudicar o desenvolvimento do bebe e ao bebe nascer ela ( mãe) morre porque o cancer já tomou todo seu corpo. Acho um absurdo deixarmos Deus de fora, pessoas hipocritas que só lembram de Deus no momento de sofrimento.

    Curtir

  13. Gostaria de fazer só um comentário. Eu entendo como Estado laico aquele em que há liberdade religiosa e que sua religião, qualquer que seja, não lhe dá benefícios estatais. Se não dá benefícios, tampouco pode-se excluir as opiniões religiosas de qualquer debate. Pelo que entendo, o Estado laico não implica em exclusão das religiões do debate político. Fazendo isto, o Estado torna-se ateu e não laico, pois somente opiniões ateístas ou não religiosas farão parte do debate político. Se os pró-aborto se amparam na liberdade de defender sua causa, por que querem interferir na liberdade de um religioso de participar da discussão como bem entender?

    Curtir

    • Por que os defensores do aborto, mesmo que inconscientemente, são avessos às liberdades individuais. Não só se opõe ao direito universal à vida mas também querem censurar seus opositores, desvalidando suas ideias em função da religião que professam. Serei sincero. Não sou favorável a tratar desse tema com argumentos religiosos ou com a bíblia. O estado é laico e isso é inadequado. Por isso não uso argumentos dessa natureza nesse ou em qualquer outro assunto.

      Curtir

  14. Fotos de bebes bonitinhos de inicio, quando entrei já percebi sua posição, essa é a jogada.
    A ciência já se posicionou sim diante desse assunto, as pessoas é não querem aceitar ou até mesmo considerar e eu acho que isso nunca vai acontecer. Pra isso a população mundial inteira teria que estudar medicina e deixar retalhos religiosos para trás.
    Mas o que eu me pergunto é por que tenho que ser contra ou a favor do aborto? Por que uma mulher esperaria até o terceiro mês para abortar?
    Por que é que em caso de estupro é permitido? Cadê a sua defesa da vida aqui? Feto não é feto?
    Acha que todas as mulheres vão tratar seus bebes indesejáveis do mesmo jeito?
    É contra a eutanásia também?
    Eu só vejo pessoas hipócritas escolhendo quando se deve ou não fazer certas coisas com os mesmos besteiróis e não falo só das pessoas que não a favor, mas as que são a favor também, são motivos baseados em nada.

    Curtir

    • Cara Loren,

      1-Eu não sei porque você falou de religião. Em nenhum momento usei argumentos religiosos.

      2- Ninguém precisa ser a favor ou contra absolutamente nada. O que fiz foi apresentar motivos para quem quer ser contra e para quem quer ser a favor. Talvez por isso eu seja tão criticado.

      3- No tocante as outras questões, sou favorável a que as mulheres que sofram estupro tenham a opção de recorrer a um aborto seguro. Os motivos que me fazem adotar essa posição são complexos e escreverei esplanadamente sobre eles em breve. Só gostaria de ratificar que o tema em discussão é extremamente complexo. Não sou nem abortista nem beato para ser contra ou a favor do aborto em 100% dos casos. É preciso ser sensato e analisar essa mazela de forma pragmática.

      Abraços.

      Curtir

  15. Eu sou a favor do aborto. Foi das primeiras pessoas que argumentou corretamente. Tudo perfeito, exceto uma coisa: no seu texto a favor, alguns argumentos destorcem a verdade. Ou seja, a sua interpretação foi como você quis e não como alguém q verdadadeiramente defende o direito ao aborto. Nestas questões acho sempre melhor serem pessoas diferentes de cada lado e nao a mesma a defender duas posicoes visto q a sua opinião vai descair sempre para o lado que acha correto, consciente ou inconscientemente. Ninguem esta livre disso 🙂
    mais uma vez, parabéns pelo texto!
    Cumprimentos

    Curtir

    • Obrigado pelo comentário.

      Olha, eu sou contrário ao aborto. Não raramente debato esse tema e esses são os argumentos que mais escuto. Confesso que teria até mais argumentos contrários para listar, mas seria colocar mais argumentos pra um lado do que pra outro.

      Tudo é questão de como você vê as coisas.

      Curtir

      • Antes de tudo, você está de parabéns pela argumentação. Minhas pontuações: se você atira para o alto no deserto e mata alguém sem querer, é homicidio culposo sem pena. O dolo conta muito, sendo horrível dizer que ela deva aceitar essa consequência só por ter feito sexo. Eu, sendo a favor da legalização do aborto, defendo que o Estado não deva taxar a mulher a obrigação de ter um filho. Isto fere gravemente a liberdade dela, já que impõe que ela deva ir até o fim da gestação. “Tudo é questão de como você vê as coisas” – então, se a vida do feto está condicionada a fatores como estupro, baixa possibilidade de vida, por que não a escolha da mulher, aquela que necessariamente será afetada?

        Curtir

  16. Muito bem defendido. Sou contra o aborto e adoto todas as suas defesas. Sem direito à vida,não há direito a mais nada. Parabéns cara!

    Curtir

  17. Primeiramente ,Parabéns pelo texto.
    bom ,sou estudante de enfermagem e pelo menos eu como futura enfermeira defendo a vida.Porém, você deixar uma ‘mulher’ que não quer ter um filho,ter esse filho e simplismente maltratar,jogar no lixo,ou em qualquer lugar seja, não seria menos humano que abortar.Mais mesmo sabendo desse ato,ainda não sou a favor do aborto,acho que todo mundo deveria ao menos estudar um pouco a area da saude,não digo medicida ,pois é uma hora que visa muito o lado b da situação, eu digo porque estudo para garantir a vida dos meu pacientes,muitos ver isso como matar um feto, eu digo tirar o direito de viver.
    DIGA NÃO AO ABORTO.

    Curtir

  18. gente.o que é pior?tirar,enquanto está na semente,ou deixar jogado nos grandes centros urbanos,sujeito a criminalidade e abuso sexual.a menina namora um rapaz,confia nele,transa,engravida,o cara some,a menina é expulsa de casa,não tem apoio do namorado,dos pais,do governo e da igreja.e essa mesma menina tem planos de progredir.mas uma gravidez inesperada,joga por terra todos os seus sonhos.então,está provado:gravidez indesejada,é atraso de vida.é dificil ver uma mãe solteira bem suscedida.

    Curtir

    • .”a menina namora um rapaz,confia nele,transa,engravida,o cara some,a menina é expulsa de casa,não tem apoio do namorado,dos pais,”

      ela soube das consequencias ela tem que arcar com seus atos ela tem que ter responsabilidade sobre seu atos ela poderia ter usado camisinha que é distribuido de graça,por isso sou a favor de uma educaçao sexual na casa ou nas escolas eu sou só sou a favor em caso de estupro por que a mulher(ou menina) nao teve responsabilidade sobre o ato

      Curtir

  19. Continuo sendo totalmente a favor, legalizando ou nao, isso n vai impedir nada, criticar o aborto é muito facil, mas ajudar a cuidar da criança para a vida toda, ninguem qr, incluindo muitas vezes o homem e a familia. Menos hipocrisia por favor.

    Curtir

    • Hipocrisia é a palavra da moda né. Será que você não percebe? “Mas ajudar a cuidar da criança para a vida toda, ninguem qr, incluindo muitas vezes…” VOCÊ, que prefere que ela morra do que virar um problema social com o qual você não quer lidar. Se você acha que os homens devem ser responsabilizados, então defenda ISSO. Não defenda a morte de um inocente, porque esta não é a solução para esse problema. Tá defendendo a solução errada para o problema errado.

      Curtir

  20. Anjo, fico feliz com a forma como ocorreu a sua gestação, minha filha também foi muito desejada. Mas reflito de outra forma, foi fácil perceber que vc é contra a descriminalização do aborto desde o momento em que estava dando argumentos favoráveis. O problema não está em nenhum dos seus argumentos e sim na vida real. Não é possível falar em responsabilidade em um país que não oferece o mínimo necessário para a manutenção dessa vida que está se pretendendo proteger. O mínimo existencial tbm é previsto na constituição, mas como é impossível para o Estado promove-lo, criou-se a reserva do possível. A questão é que não há o direito da reserva do possível quando o assunto é uma adolescente, que vive em uma favela, que não teve direito a uma educação de qualidade, que não tem direito a saúde, não tem direito a alimentação, não tem direito ao meio ambiente, enfim, nenhum direito ou, econômico. As pessoas defendem que essa menina deve ter o filho para cumprir o direito a vida previsto na mesma constituição que não acastela seus direitos, mas as pessoas vão palpitar agora, vao obriga-la a ter o filho, mas não vao ate la ajudar a alimentar, comprar fraldas, arrumar o barraco para que a criança tenha vida digna e essa criança vai crescer e vai frequentar a mesma escola publica sem qualidade que a mãe frequentou, vai ficar na rua enquanto a mãe trabalha para oferecer o mínimo para o sustento de seu rebento e ai quando essa criança roubar o carro dos direitistas que foram contra o aborto, eles serão a favor da redução da maioridade penal.

    Curtir

      • Não, minha colocação não foi essa e acredito que você seja inteligente o bastante para diferenciar uma coisa de outra. No entanto vou esclarecer, o Estado não promove o mínimo para uma vida digna, assim faz com que meninas estejam em situação de risco, por consequência engravidem, os homens responsáveis por essa gestação serão sempre unanimes em dizer que amam os filhos, mas nem esses homens, nem o Estado oferecem o mínimo para a manutenção da vida, apenas querem decidir se é certo ou errado abortar. O que resolve você buscar proteger essa vida que não terá nada nessa vida que vc tentou proteger? Afirmar ser favorável a vida, mas não pensar que o aborto vai acontecer indiferente de ser ou não crime. Não ajudar a nem uma dessas crianças.
        Jamais mandaria matar pobres, sou pobre, sou voluntária e contra a redução da maioridade penal pelas mesmas razões que me levam a ser favorável a descriminalização do aborto. Não porque eu quero que matem crianças, mas porque quero muito que essas mulheres, muitas vezes crianças, tenham direito a vida, que possam terminar seus estudos, trabalhar, receber o mínimo para uma vida digna. Mas ao invés disso, não damos educação, não damos instrução, não damos moradia, não damos saúde, não damos proteção e quando essa menina engravida nos a chamamos de vagabunda, assassina, a obrigamos a continuar essa gestação que resultara em outra criança sem nenhum direito, porque não vou vê -lo na favela cuidando dessa vida que vc esta defendendo. Ai se essa criança decidir roubar ou matar, vou ouvir os mocinhos defensores da vida dizendo que o ideal é a pena de morte, ou a redução da maioridade penal pq se decidiu roubar pode pagar pelos erros. Os argumentos são os mesmos sempre e honestamente nem me sinto apta a debater esse assunto, sou pobre, mas não precisei chegar a nenhum extremo para me alimentar ou alimentar minha filha, que educo e alimento sozinha, porque o pai não tem nenhuma responsabilidade e como fui eu quem optei por ter essa criança, gasto mais de oitenta por cento do meu salário com escola e material didático para que ela tenha instrução e possa decidir se quer ou não uma relação sexual. O problema é que nas favelas onde entrego roupas e brinquedos, as meninas de oito anos já estão aprendendo a descer até o chão e rebolar, reproduzindo a ideologia da favela de que mulher é objeto, ai a sociedade fala que ela não pode abortar, mesmo ela tendo 12 anos de idade, tem que ser responsabilizada. O Estado não oferece nada, e cobra tanto. Queria que alguém com a sua qualidade retórica pudesse um dia optar por defender essas pessoas, que não escolheram ser bandidos, putas, assassinos, apenas não tiveram o carinho de uma mãe, a brincadeira com o pai, o colo da avó, o leite quente de um seio saudável, a fralda sequinha, o cobertor fofinho, limpo e colorido, a alimentação, a escola com vinte alunos e professores dedicados. Não tiveram nada e a única demonstração de amor foi a do traficante que disse que ela era especial e que faria dela uma rainha se aceitasse ser sua mulher. Mas ela tem que gestar essa outra vida, pq caso contrário quem o traficante daqui dez anos vai enganar? Quem vai trabalhar de faxineira para os que defendem a vida? Quem vai preencher as paginas de notícias violentas? Eu posso ser a favor da descriminalização do aborto, mas acho que salvo mais vidas quando entro na favela e levo um abraço, um brinquedo, um alimento, do que quem so sabe ficar falando sobre o ideal que se faça em uma realidade que se desconhece. E se me acha pouco humana, desculpe, talvez eu seja mesmo mais animal do que gente, visto que ao invés de ficar falando, acordei as cinco da manhã para trabalhar, depois estarei com meninas de dez, doze, quatorze anos que estão gravidas e pagando pelo erro de terem acreditado. Uma inclusive, acreditou no pai, que a engravidou, mas como ela escolheu permitir não merece nenhuma chance, e como não há vagas em creches públicas também não voltara para a escola. E se vc não sabe o destino dela ou do filho, eu, do auge da minha desumanidade sei.

        Curtir

      • Prezada Helen,

        Entendi exatamente o que você quis dizer.

        Meu comentário anterior foi baseado em cinismo e sintetizou não o que você comentou mas as consequências lógicas de legalização de métodos abortivos para “coibir o crime e a pobreza” – como se crime estivesse associado a pobreza, o que não se traduz na realidade.

        Você tocou em pontos interessantes dos quais vale a pena tratar:

        1- “O Estado não promove uma vida digna”

        Este argumento é interessante, pois se calca na ideia de que se o Estado não promove uma vida considerada por alguém como digna, então é moralmente justo interromper muitas vidas para coibir a falta de dignidade na vida dessas pessoas, sem consultá-las, é claro.

        Se olharmos o mundo a nossa volta veremos que os países que adotam um Wellfare State estão todos diminuindo tais medidas para que caibam em seus orçamentos.

        E ainda assim, podemos notar que tal tipo de Estado só existe e é possível em países ricos, com economia livre e elevados termos de troca, condições estas que são impossíveis de ser reproduzidas na totalidade do globo.

        Sendo assim, então, por essa lógica, pessoas de países ricos e abastados, com rede social ampla, teriam o direito a vida mais garantido que pessoas advindas do terceiro mundo. Meio eugenista, não? O ideal é que houvesse o mínimo de igualdade no tocante a isso ao meu ver.

        Essa ideia de Estado babá é um tema a parte. Criar um monte de direitos, sobrecarregando o contribuinte que produz para a economia. Então já que o Estado não consegue sobretaxar os entes produtivos o suficiente para prover serviços básicos para todos o direito a vida deveria ser relativizado, se tornando um privilégio daqueles afortunados nascidos de lares desejados.

        Podemos colocar um monte de direitos sociais na nossa Constituição, mas se não produzirmos riqueza o suficiente para provê-los serão apenas demandas não atendidas.

        O debate sobre wellfare ao meu ver é um debate para países ricos. Primeiro deveríamos debater reformas para elevar nossa economia internacionalmente, elevando nossa produtividade e termos de troca, para que o fruto dessa riqueza pudesse ser investido de forma sensata. Hoje o Brasil gasta 40% do que arrecada com juros e amortização da dívida, enquanto isso continuar nossos serviços serão péssimos.

        2- “os homens dizem que amam mas não provem com o mínimo para estas vidas”

        Ai não podemos confundir o dever do Estado com os erros de seus agentes. O Estado deveria, em tese, ter políticas de controle de natalidade e educação sexual para coibir tais ocorrências.

        Sejamos sensatos. O que é o mínimo? Se olharmos para a história veremos que qualquer pessoa de classe média baixa possui muito mais conforto e recursos que os reis da idade média, nem por isso se abortava todo mundo naquela época.

        O “mínimo” e “digno” são termos com significado mutante no decorrer da história e com aplicabilidade altamente flexível a um ponto de vista.

        Por mais que alguém creia que é impossível viver dignamente com recursos escassos no Brasil, há pessoas em Bangladesh e outros países que vivem com muito menos, nem por isso creio que seria justificável relativizar o direito a vida dessa gente.

        3- “Afirmar ser favorável a vida, mas não pensar que o aborto vai acontecer indiferente de ser ou não crime.”

        Olha, há evidências empíricas que a legalização de um produto de alta demanda implica em seu maior consumo. Foi assim após o fim da lei seca, foi assim após a legalização do aborto nos EUA, etc.

        Desculpe-me, mas esse argumento é falacioso, podemos verificar facilmente:

        ex:

        “Afirmar ser contra o estupro, mas não pensar que o estupro vai acontecer indiferente de ser ou não crime.”

        “Afirmar ser contra o assassinato, mas não pensar que o assassinato vai acontecer indiferente de ser ou não crime.”

        Só porque o Estado é incapaz de impedir uma ilicitude isso não implica em concluir que a melhor forma de se tratar uma ilicitude é a legalizando.

        Existem casos, e eu os conheço, de mulheres que decididas de fazer o aborto, que não o fizeram por encontrar dificuldades decorrentes do fato do aborto não ser legalizado. Tais vidas acabaram sendo salvas pela legislação. Vidas estas que não existiriam outra hipótese.

        Quanto vale a uma vida humana? Eu sei, para quem defende um aborto, a vida de um feto não vale nada. Minto, sua não-vida vale muito e por isso Institutos internacionais como Ford e McLlister financiam globalmente ONG´s pró aborto para ganhar dinheiro com a prática e venda das partes dos fetos para a indústria farmacêtica.

        Pela lógica econômica, o aborto é um caso de demanda reprimida, existem pessoas que gostariam de fazer algo, mas com há dificuldades, fazem este algo numa medida menor do que fariam na eventualidade de não haver tais dificuldades.

        4- “Não ajudar a nenhuma dessas crianças.”

        Nesse ponto você tem toda a razão. A sociedade deve ter solidariedade para com os menos afortunados. Não olhar para os pobres não é tão ruim quanto não os deixá-los viver mas acaba por resinificar pra pior o sentido de suas vidas. E como vivemos em sociedade, a carência alheia pode afetar nossa bonança.

        Daí a condicionar o simples apoio à existência de uma pessoa ao seu sustento eu acho que é meio descabido, uma vez que a função de provedor PELA LEI cabe aos genitores, sendo estes aqueles que, ao praticarem o ato reprodutivo, assumiram o risco de gerar um ser humano. Muito fácil sair fazendo sexo num afã hedonista em busca de um prazer imediato e depois exigir que quem cuide de seus filhos são aqueles “hipócritas” que não querem aborto. Responsabilidade social é precedida de responsabilidade individual.

        5- “Jamais mandaria matar pobres, sou pobre, sou voluntária e contra a redução da maioridade penal pelas mesmas razões que me levam a ser favorável a descriminalização do aborto”

        Matar os pobres no ventre materno não é tão desumano já que não é tão visível ou perceptível.

        Também sou pobre e já fiz trabalho voluntário algumas vezes.

        Assim, levando em consideração que no Brasil morrem mais de 50 mil pessoas por ano, que a maioria dessas pessoas são pobres, e que dos 4% dos crimes solucionados 1% são praticados por menores de idade, podemos estimar que cerca de 10 mil mortes poderiam ser praticadas por menores, sendo destas a maioria de vítimas pessoas pobres, que teriam sua vidas salvas caso seus assassinos estivessem presos.

        Está cheio de caso de menor que mata, é solto e volta a matar. Caso ele permanecesse preso ao menos essas mortes de reincidência poderiam ser salvas.

        Já que você gosta de pobre, pelo menos estas vidas você poderia salvar.

        6- “O problema é que nas favelas onde entrego roupas e brinquedos, as meninas de oito anos já estão aprendendo a descer até o chão’

        Nossa sociedade está pagando caro pelos males do marxismo cultural.

        Ao relativizar a importância do casamento, as relações se tornam vulneráveis e arriscadas. O filho de pais casados tem em média muitos menos problemas que os de pais separados ou de mães solteiras.

        A hiperssexualização das crianças promove promiscuidade e gera gravidezes indesejadas, recriando o ciclo apontado acima, onde a família se torna uma instituição cada vez mais frágil e a sociedade gera indivíduos atomizados.

        A religiosidade fajuta e inerme do brasileiro não colabora para a melhora desse cenário, muito pelo contrário, a hipocrisia pode eventualmente alimentar esse sistema vil.

        Mas o que isso teria a ver com marxismo? Pois bem, como Hebert Markuse já ideoalizou no início do século passado, a família é um obstáculo para a aplicação do socialismo na medida em que seus laços de proteção impedem as pessoas de se revoltarem contra o capitalismo.

        Explico. Após anos de influência na mídia para banalizar o sexo e vulgarizar a figura feminina, os filhos dessa sociedade não teriam proteção social alguma e seriam dependentes do Estado, favorecendo medidas assistencialistas contínuas que asfixiariam a economia capitalista. Markuse vai além e diz que o bandido é o verdadeiro proletário da sociedade moderna e por isso as políticas da esquerda devem agir em seu benefício, para transformar o combate ao crime numa disputa de classes, onde os criminosos são os pobres oprimidos e as vítimas ricos exploradores.

        Não é nem preciso dizer que pobreza não é condição para ser criminoso. O crime é encontrado em todas as esferas da sociedade e os maiores criminosos são os ricos mais poderosos, como estamos vendo a elite de empresários e os políticos do PT pegos na Lava Jato.

        6- O Estado não oferece nada, e cobra tanto.

        O Estado nunca oferece nada porque não produz nada. O que ele faz é pegar o dinheiro de quem produz e dar – uma parte – para quem não produz ou não é capaz de produzir.

        O Estado não pode ser indevidamente culpado se seu território não foi contemplado com uma estrutura econômica pujante da qual possa extrair em impostos recursos para bens sociais.

        Explico. No Haiti não existe escola pública. É culpa do Estado? Claro que não, o Estado adoraria prover este bem, mas o Haiti não tem recursos minerais ou naturais que possam ser extraídos, não desenvolveu indústria nem tem capital humano e estrutura para tal , não é rota primordial de comércio, não possui nada que o mundo queira, logo, seus termos de troca são baixíssimos.

        Culpar o Estado pelos serviços não serem com na Suécia é desviar o foco.

        Me lembro que nosso “saudoso” governador Sérgio Cabral carregava uma ideologia bem eugenista. Dizia que o Leblon tinha o IDH da Suiça e que as favela o IDH da Etiópia, logo, o aborto deveria ser legalizado para coibir essa disparidade. O que ele estava querendo dizer com isso? Que se matássemos todos os pobres a pobreza acabaria. Não, ele não entendeu nada porque não estudou economia.Se o aborto fosse legalizado não seriamos mais ricos, e muito provavelmente nossa pirâmide demográfica seria abalada, encurtando nossa janela demográfica E NOS TORNANDO MAIS POBRES.

        O que gera as riquezas das nações é ter uma produção de bens de alta demanda e qualidade, para tanto é necessário ter capital humano , livre mercado, alta produtividade, investimento em tecnologia e infraestrutura. Tudo o que não temos e os políticos nem pensam em tratar.

        Só a título de curiosidade, os primeiros países a legalizarem o aborto foram Rússia e Japão e os dois estão sofrendo decréscimos populacionais que prejudicam suas economias. No caso da Rússia, o Putin já está fazendo de tudo para que seja impossível abortar, no entanto, os russos apoiam os grupos políticos americanos pró-aborto. Coerente? Claro, ele sabe os males de tais medidas, coíbe-as no seu território e as incentiva no país inimigo.

        7- “Quem vai trabalhar de faxineira para os que defendem a vida?”

        Você fez uma associação de que os patrões de domésticas são todos contra o aborto. Quem dera. Quanto mais rico e cheio de si menor o tato social no nosso país.

        Assim, do ponto de vista econômico é bom que haja mais gente na parte de baixo da pirâmide demográfica porque assim o sistema previdenciário pode existir e além disso cria-se uma janela demográfica que aumenta a produtividade do páis, tornando-o mais rico e proporcionando um aumento da qualidade de vida dos mais pobres.

        Se não houvesse empregador, quem pagaria o salário da empregada? Se não houvesse empregada, o empregador teria que trabalhar menos para cuidar dos afazeres domésticos. Menos trabalho, menos renda, menos produtividade, menos imposto, menos arrecadação, menos gasto no social, mais pobreza.

        7- “E se me acha pouco humana, desculpe, talvez eu seja mesmo mais animal do que gente”

        Eu não te acho um animal. Jamais acharia. Acho você tão humana quanto aqueles que são mortos de forma indefesa, sendo tratados pior que animais.

        Quanto às decisões que as pessoas têm e as consequências que ela são obrigadas a tomar, não me atrevo a adentrar nesse seara.

        No mais, muito obrigado pelo seu excelente comentário, que me fez desenvolver tantos raciocínios.

        Por último, se o direito de decisão é superior ao direito a vida, porque para se decidir é preciso estar vivo?

        Abraços

        Curtir

    • Desculpe prezado Milton, discordo de você.

      Não existe nenhuma correlação entre o direito e a crença no divino. Nenhuma. A maioria dos adevogados e advogados que conheço não são figuras nada religiosas.

      O que você talvez quis dizer é que pelo fato de que o direito praticado no Brasil ter seu berço no império romano, sendo que este império foi sucedido por séculos de domínio católico, existem traços da visão teísta judaico-cristã implícito na estrutura das leis. Isto já foi a muito percebido e existem trabalhos acerca deste tema. Principalmente se olharmos pela ótica do direito natural e a visão de um ser todo-poderoso que ordena a natureza.

      Curtir

  21. Acho que você não foi muito imparcial quando citou os dez motivos para ser a favor do aborto, achei seus comentários bons, mas um pouco vazios, já os comentários sobre os motivos para ser contra foram mais elaborados, antes de você mostrar sua visão pessoal eu já sabia que você era contra.

    Curtir

    • Esse tipo de crítica que você está fazendo é feito mais de uma vez todos os dias EM TODOS OS POSTS de 10 motivos para ser contra e favor de alguma coisa.

      Geralmente, eu não publico comentários repetitivos pois não acrescentam nada.

      Enfim, acho que a maioria das pessoas achariam que eu seria mais imparcial se eu desse só 10 motivos para ser a favor daquilo que elas acreditam.

      Portanto, obrigado pelo comentário.

      Curtir

  22. Meu foco é justamente nós 10 motivos pra ser a favor. Depois de ler e reler esse motivos fico mas convicta de que sou a contra a leu do aborto. Acho um absurdo essa ideia de que um feto não tem vida, ele tem vida sim! Meu Deus que pessoas são essas que são a favor disso? Você ja parou pra pensar q você um dia foi um feto? E não venha me dizer q a mulher não tem poder sobre o corpo dela, tanto tem que foi la e fez essa criança. Se ouvessem mas conciencia de que sexo não é apenas pra satizfazer aos desejos da carne, mas sim a forma pelo qual se concebe uma vida, não tornariam o sexo em algo casual. E sobre uma mulher ser estrupada e carregar no seu ventre o frunto desse ato, e ser algo pra sempre lembrar, desculpe mas tento ou não um filho ela sempre lembrará desse dia terrível, e se ela aborta será algo mas pra ela lembrar, jamas será esquecido. O que deve haver é respeito pela vida, o homem parar de ver a mulher como um objeto sexual, e que ele pode tudo. E a sociedade parar de dizer que é homem age por instinto, que homem tem instinto animal não se controla. MENTIRA! Por que a mulher também tem seus instintos, somos todos feitos da mesma materia, e as mulheres não andam praticando estrupo a torto e a direito. Quem comete esse erro das duas uma, ou é doente mental e mau caráter! Então independente da minha religião sou contra o aborto, e sou a favor da vida que um feto tem. Aparti do momento que ouve a fecundação existe uma vida. Que as pessoas deixem de transformar o sexo em banalidade e respeitar o papel importante que se tem que é a procriação, quem não quiser procriar que não faça ou procure meios de se previnir, e olha q não são poucos. E lembrando, que mesmo que se faça esse procedimento em uma clínica equipada e adequada a mulher correr risco de vida sim. E se querem diminuír o índice de pobreza, e de violência, que proporcionem um estudo de qualidade e que parem de desviar o nosso dinheiro, que parem de roubar nossos impostos. Sejam a favor do direito de viver, por que sua mãe lhe deu esse direito, ela escolher deixar você vim ao mundo, ela não te deu o direito a vida, por que você ja tinha uma vida na primeira hora, semana… de vida!

    Curtir

  23. Sou feminista, e completamente contra o aborto, o governo deveria criar um lugar especializado onde quem não desejasse criar seu filho, doace para a adoção, onde dois lados sairia feliz.

    Curtir

  24. Olá,
    Fico feliz com esse texto. Expõe os dois lados. Ajuda a quem está indeciso. Acredito que o aborto só o é tão praticado pois as mães e pais que o praticam não tem acesso as formas de solucionar a situação. Existe a ADOÇÃO, existe a possibilidade de se criar a criança e recorrer a alguém da família. No começo, um ou outro da família pode criticar, ou até mesmo repudiar. Mas com o tempo não faltará quem queira ajudar ou até mesmo cuidar da criança. Na realidade, os pais e mães que enfrentam essa situação deveriam fazer o seguinte:
    1 – Manter uma alimentação saudável. A Criança irá se desenvolver bem e não terá tantos riscos de nascer com problemas. Assim terá mais chance de ser adotada ou até assistida por quem não tem compromisso com sua vida.
    2 – Os pais (mãe e pai) devem procurar nesse meio tempo da gravidez uma forma de se estabilizar afim de dar uma boa vida ao filho. É uma última chance. Um período de tentativa. De correr atras do prejuízo. Muitos conseguem entrar na linha. Serem mais sérios e mais dignos. Afinal, quem procura um aborto é no mínimo irresponsável e acomodado. Pensa-se no futuro ao não querer um filho, mas quando é para usar de métodos preventivos fazer corpo mole. Dessa forma, se resolveria dois problemas de uma vez. A responsabilidade e a estabilidade.
    3 – Caso não tenha conseguido alcançar o objetivo de se estabilizar e ter condições de criar a criança com dignidade, procure soluções na família. Sempre tem alguém que iria dispor a cuidar ou criar a criança. Na realidade, sempre tem uma mãe na família que já cuidou dos filhos, já se formaram ou casaram e no momento gostaria muito de ter mais uma oportunidade de se criar o bebê. Afinal, a maternidade é um mistério que vicia, segundo tenho escutado.
    4 – Amigo(a), é procurar a adoção para o seu filho. O item 3 pode já acontecer isso. Não há duvidas de que a adoção é muito menos traumática que o aborto. Tanto para o Bebê quanto para a gestante (não chamarei de mãe nesse caso porque mãe é quem cuida, educa, zela e protege). Aqui está uma enorme barreira e mudança psicológica da mulher. A experiência de se doar um(a) filho(a) para a adoção é extremamente construtivo. A mulher sai do comodismo que o aborto iria causar possivelmente (se acontecer outra gestação só abortar novamente) e passar a ter remorso do descuido que teve. Passa a pensar, passa a humanizar suas atitudes e escolhas. É doido para uma mãe doar um bebê. Um gesto de amor por querer que o mesmo tenha melhores condições do que teria com ela. Uma decisão verdadeiramente adequada. Afinal, melhor um filho saber que a mãe o doou pensando no seu bem, pois o filho saberá valorizar a dor da mãe que abriu mão dele por não ter condições de dar aquilo que ele merecia, do que um filho crescer numa família instável, criado por pais sem paciência que o maltratam e o julgam a causa de seus sofrimentos e misérias.
    Acho que é isso…
    Att.,
    Um pai que pensou em aborto.

    Curtir

  25. Eu queria apresentar a vocês uma tecnologia inovadora, que previne qualquer tipo de gravidez e assim não precisaria de burocracias como a do aborto, se chama camisinha 🙂

    Curtir

  26. Uau! sua defesa a vida simplesmente acabou com todos os cometários de defesa ao aborto. É como se o povo regredisse ao aceitar o aborto legal. Sou contra o aborto em caso de irresponsabilidade, mas a favor da mulher escolher em casos de estupro, morte do feto ao nascer e risco de morte a mãe.

    Curtir

  27. Sou contra o aborto… mas ao meu ver existem argumentos prós que são interessantes e coerentes. A questão é…

    – Não estaria a pessoa pró-escolha também aceitando que o homem pode não escolher ser pai, mesmo tendo gerado a criança? Porque também não concordo com isso, acho que isso não é questão de escolha, e sim assumir responsabilidades, consequências de nossos atos.

    – Gravidez na adolescência é um problema grave. Mas nunca vi ninguém pró-aborto falar em medidas educacionais e/ou comprometimento em usar métodos contraceptivos, em especial as mulheres, que são as que mais sofrem com uma gravidez indesejada. Lembrando que gravidez não é acidente, é consequência do ato sexual, assim como são doenças sexualmente transmissíveis, como a AIDS. No caso desta DST, estaríamos falando em como evitar, já que não há cura. Por que não falarmos em responsabilidade no geral?

    – Me perguntaram se eu era a favor em caso de estupro e minha resposta é CLARO QUE SIM. Neste caso, o feto estaria pagando por um crime que ele não cometeu, sendo que no Brasil não existe pena de morte, então também seria ilegal. A questão é, se você é a favor do aborto e da escolha, então necessariamente você é favor da pena de morte? Ou só é a favor da morte de um feto porque você não considera vida?

    – O que é vida? Cientistas já “provaram” que mulheres e animais não sentiam dor, ou que brancos eram superiores a negros. Logicamente todos os estudos que comprovavam isso caíram por terra. No caso do aborto, a teoria da abiogênese foi refutada há anos, então como algo morto geraria vida? O que temos então, é obviamente, vida gerando vida. Então onde está a morte neste caso? O zigoto da qual TODOS nós nos originamos então não tinha vida? O bebê surgiu de algo morto? O embrião ficou no limbo, numa realidade paralela até que de repente virou algo vivo? Se uma bactéria é algo vivo ou se as células do nosso corpo são consideradas coisas vivas, o embrião não seria porque?

    Os argumentos que me fazem pensar no aborto são a escolha de quem não tem escolha. É a pessoa estuprada, a pessoa que se recusa a ter um filho em condições lastimáveis. De fato deveríamos lutar para que a saúde pública e educação fossem melhores, para que mulheres que estão passando por situações difíceis possam ter suporte, e que esses filhos não sejam marginalizados da sociedade. Mas acho também que como adultos deveríamos discutir sobre as consequências dos nossos atos, visto que sexo sem proteção e dirigir bêbados não são boas idéias.

    Curtir

  28. Eu Acho que o Aborto pode ser praticado mas em momentos específicos porque por exemplo:
    Se a pessoa transa sem camisinha ela sabe dos riscos que corre de ter 1 filho nesse caso não deve ser praticado.
    Se a pessoa foi estrupada acho que se ela quiser ela pode fazer o aborto porque aquele filho que ela iria ter pode não estar nos planos além do mais o pai seria 1 criminoso.

    Curtir

  29. Eu sou a favor da legalização do aborto até a formação do sistema nervoso no feto, depois disso só em caso de risco de vida à mãe (dependendo da decisão dela, afinal, a vida é dela e ela que deveria decidir se quer arriscar) ou ao bebê com apoio dos dois pais, a não ser pela falta de um deles, afinal, o filho não é só da mãe.
    Eu não apoio no caso de estupro porque o feto não tem culpa alguma do que outra pessoa fez e não deveria ser decontado nele as consequências. Acho que se não quer criar, só é colocar num orfanato, são ruins? Quando o feto crescer ele decide se quer se matar, mas é apenas ELE que deve tomar essa decisão, afinal, a vida é dele e também, pelo menos no orfanato ele vai ter alguma chance de ter uma vida boa, no aborto a chance é zero.
    E ainda tem mais, pelo que eu saiba, quando o filho nasce (ou é quando a mãe tem o primeiro contato com o bebê, não lembro) é liberado muita ocitocina (hormônio do amor e do prazer) que fazem a mãe amar seu filho e também é liberado quando a mulher amamenta, acho que isso poderia ajudar a superar possíveis traumas psicológicos causados pelo estupro, melhor do que ter que superar isso sem esses incentivos emocionais.

    Curtir

  30. Interessante o texto mas uma correção importante;no motivo número nove para você ser pró aborto é citada a questão do estrupo no entanto o código civil não proíbe o aborto no caso de vítimas de estrupo.No entanto também não sei se existe esforços do governo para que a vítima de estrupo tenha um procedimento que não cause riscos a vida da mulher o que também é outro fator importante a ser levado em consideração.

    Curtir

  31. Sou contra o aborto, na verdade não acredito que existam pessoas a favor do aborto em si, somente as clínica clandestinas que praticam isso, são totalmente pro-aborto. Mas sou a favor da descriminalização, porque por mais que existam bons argumentos contra ou a favor, mulheres de todas as classes sociais, raças, crenças vão continuar praticando o aborto, sendo ilegal ou não, sendo imoral, desumano. Por diversos motivos, de cunho particular de cada uma dessas mulheres que praticam o aborto. A descriminalização seria a resposta do Estado dando assistência para a mulher que praticou. Os argumentos articulados (contra ou a favor) aqui são relevantes sim para ajudar aquela mulher que pensa em fazer aborto para pesar em sua decisão, o Estado deveria ter a obrigação em apresentar a esta mulher estes argumentos. O fato da mulher ser desumana com uma criança dá ao Estado o direito de ser desumano com a mulher? O aborto em si, é um castigo na vida de uma mulher, é uma marca eterna, certamente a marca mais pesada de sua vida. Mas o Estado ao invés de atender e oferecer ajuda médica para esta mulher, a prende e aumenta ainda mais a marginalização desta pessoa. Mas vou deixar bem claro que não sou favorável a morte de um inocente, sei que para muitos a descriminalização seria a mesma coisa que legalizar a morte, mas ao contrário do que acreditam, a descriminalização dará ao Estado os meios para que menos abortos ocorram, pois o atendimento para a mulher viria antes de cometer este ato. Mas daí vem a questão da justiça, a sociedade prefere que os recursos pagos por nossos impostos sejam empregados para ajudar ou punir esta mulher que praticou o aborto? A resposta é um tanto óbvia, a sociedade prefere a punição. Mas lembro uma frase que minha professora de direito disse: ” As leis não existem para ser justas, elas existem para regular.”

    Curtir

  32. eu sou contra, pois o aborto é atentado a vida e a preservação do ser humano
    que não tem consciencia e que não tem culpa da irresponsabilidade e que voce sabia podia acontecer então, seus argumentos foram invalidos

    Curtir

  33. Com ou sem a aprovação social, mulheres abortam, sempre abortaram, procurem saber sobre achados arqueológicos da Grécia Antiga, por exemplo… Defender uma vida sem pensar que todos os dias mulheres por decisão sua, ou forçadas por outras situações violentas, econômicas e mesmo morais não desejam ter filhos, já diminui e mesmo TOMA da mulher o governo de sua própria vontade. Enquanto homens seguem tranquilamente suas vidas transando sem vínculo, sem responsabilidade, sem intenções nenhumas…sem pecado. O que ninguém diz é quanto a indústria farmacêutica ganha com medicação abortiva, ou quantos golpistas existem por aí fazendo falsas vendas de medicação pela WEB e mesmo outras pessoas que realizam abortos precários, ou sobre como é estar sozinha, fragilizada, sentindo dor e sangrando por dias em casa, porque nenhum médico vai te ajudar… Um aborto hoje é mais que um crime, gente, é quase um suicídio. Eu particularmente, porque você tá sem grana nem pro ônibus… Tenho a opinião de que é mais seguro e menos tramático um aborto logo nos primeiros dias, mas isso requer um autoconhecimento maior da mulher, e de seu parceiro se houver, sobre as fases do seu ciclo menstrual…provável dia da concepção…para que não prossiga por muito tempo a gestação…MAS não sei se concordo com abortos de bebês bem formadinhos…Leis precisam lidar com fatos, e o aborto é uma das mortes mais frequente entre mulheres férteis…acho que elas merecem repeito e acolhimento médico, ou devemos queimá-las em praça pública??? Muito fácil defender a vida dos outros, condenar, e se achar o ser humano mais bondoso e justo que os outros que discordam de vc, quer cuidar de uma vida? Vai dar uma ajudinha real pra alguma criança carente…uma emigrante, depois volta defender a vida. Bem no fundo aquela música faz sentido pra gente por a reflexão numa balança: “99%anjo perfeito, mas akele 1% é …”

    Curtir

  34. Sobre a parte que defende o aborto: em casos de estupro já é legalizado o aborto. E li também que carregar um bebe que nao quer, além de prejudicar na adolescencia, é uma opressão a mulher. Dar a vontade pode né? Mas assumir o que faz? Não precisa, querem matar, nao é isso? Hahaha. Aborto é SIM assassinato.

    Curtir

  35. Os animais são mais racionais que o ser humano, pois criam seus filhotes e morrem de ciúmes quando nos aproximamos dos mesmos, Já essas pessoas que são a favor de um ato tão repugnante de matar um serzinho tão indefeso, tão lindo, não podem ser comparados nem com animais e sim com monstros. Eu já tive três abortos espontâneos e não desejo isso pra ninguém nem pra esse tipo de gente, é muito sofrimento e traumático. Já em relação a má formação do feto, já vi muitos casos de mulheres que levam a gravide até o fim só por amor a seu filho, mesmo sabendo que não vai sobreviver depois do nascimento. Já em relação ao estupro acredito que tudo é permitido por Deus, se ele permitiu uma concepção depois de um ato tão violento assim, é porque ele tem alguma lição ou história pra mostrar, são tantas opções excluindo a morte. Se essa mãe ao olhar pra criança lembraria do seu agressor ela poderia doar essa criança a uma família que a amaria muito. Essa é a minha opinião.

    Curtir

  36. Poo cara muito bom o texto, não só os 10 contra como os 10 a favor, eu concordo com você cara, até mesmo nas exceções, acredita que a gravidez deva ser interrompida em apenas casos extremos, no caso de risco à vida da mãe, no caso de estupro, no caso da criança vim a nascer com deficiências que podem vir a dificultar ainda mais o trabalho de ser mãe e outros casos extremos. E também acho que deve existe um conceito ético no meio de tudo, acredito eu que tem coisas que o ser humano não deveria ser capaz de fazer, não por falta de conhecimento sobre a área mas por uma questão ética.

    Curtir

    • Como ousa defender a Ética, apoiando que mulheres abortem crianças com deficiências, como a Síndrome de Down, só porque vai ser mais difícil para ela criar.Bebês saudáveis também exigiem esforço dos pais. Claro que bebes com deficiência exige mais do psicológico dos pais. Mas defender tal discriminacao chega a soar como Eugênia.
      O que não é bem um pouco ético. O bebê (O ser) merece viver independentemente do quer é considerado “normal” na sociedade. Espero que não se ofenda e comente se quiser.

      Curtir

  37. Posso estar errada mas sinto uma falta de neutralidade, quando se fala em prós e contras vc tem que respeitar ambas as partes e vc claramente não o faz, se torna perceptível que vc é a favor da criminalização do aborto quando se começa a ler o primeiro argumento favorável a descriminalização. Beijinhos

    Curtir

  38. Eu, SOU a favor da legalização do aborto, defendo que o Estado não deva taxar a mulher a obrigação de ter um filho. Isto fere gravemente a liberdade dela, já que impõe que ela deva ir até o fim da gestação. Se a vida do feto está condicionada a fatores como estupro, baixa possibilidade de vida, por que não a escolha da mulher, aquela que necessariamente será afetada? De que adiantaria eu ser contra quando vemos tantos casos ocorrendo mesmo com a proibição? Os abortos clandestinos não vão deixar de acontecer, um fato triste, mas é a realidade. As bem dotadas financeiramente fazem as mais pobres financeiramente se lascam com cabo de guardas chuvas!!enquanto o toro cai.

    Curtir

  39. Os animais inrracionais so fazem sexo pra procriação,isso é fato!!, Em quanto que o homem usa o sexo para auto se banalizar, e colocar no mundo crianças despreneendidas do amor fraternal.

    Luzia Dutra.

    Curtir

  40. Eu sou fruto de uma gestação indesejada, porém não interrompida! E serei eternamente grata a mulher que me permitiu viver. Fui adotada pela melhor e mais amorosa familia do mundo. Era meu direito viver!!!

    Curtido por 1 pessoa

  41. Aborto é decisão pessoal.
    Aborto é uma liberdade que deve ser cedida para todas as mulheres.
    Aborto é uma liberdade individual.
    Vocês não tem nada a ver com a liberdade das outras pessoas. São contra? Tudo bem, podem ser, porém, não podem obrigar que as outras pessoas sejam também.

    Curtir

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s