wpid-soul-man-1.jpg

10 motivos para ser contra as cotas raciais


Estudei na primeira Universidade pública do Brasil a aprovar as cotas raciais. Depois de 4 anos estudando, fui a secretaria pegar meu diploma e vi um folheto panfletário, com um gráfico indicando que os alunos oriundos do sistema de cotas tinham um desempenho melhor. Como eu estudei naquela Universidade, apenas dei uma risada irônica.

Outro dia o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, fez uma postagem em seu blog sobre os frutos “positivos” de sua decisão de iniciar as cotas raciais na UERJ. Resolvi dar a minha contribuição e fazer um comentário no post sobre o que presenciei como aluno graças às cotas. Infelizmente, – advinha?- o Garotinho não foi homem para publicar meu comentário.

Hoje no Brasil apenas 25% de pessoas são contrárias as cotas raciais. Número bem maior do que o de brasileiros que concluirão uma faculdade. Vou deixar claro que esse texto não é contra as cotas em si, somente contra as cotas “raciais”.

10 motivos para ser contra as cotas raciais

1- Compensação
Todos já ouvimos aquela velha história de que o negro foi trazido escravo contra a sua vontade, sendo posteriormente marginalizado com o fim da escravatura. Beleza.

Por que eu, que nem branco sou, devo ceder uma vaga conquistada com meu mérito a uma pessoa de cor apenas devido à ancestralidade dela?

Já pensou se um índio invadisse sua casa para pedir compensação pelas terras que o homem branco tomou dele?

2-Responsabilidade
Responsabilizar os brancos de hoje pelo que os brancos do passado fizeram é um absurdo. Isso não faz sentido.

Eu tenho 5 primos, todos pobres e necessitados. Dois deles são brancos e três deles são negros. Por que razão meus primos negros devem merecer o privilégio de ter uma cota e meus primos brancos não?

As cotas fazem com que um negro pobre tenha um privilégio frente a um branco de mesmo nível social.

3- Desmérito
Dar privilégio para que alguém possa estar em determinado lugar com base na cor de sua pele se consiste no pior tipo de racismo que existe. Que diferença faz se o dentista é branco ou negro? O que interessa não é a cor do dentista, mas a sua qualidade.

Ao impor uma cota racial, o Estado está sobrepujando a meritocracia com uma imposição ignorante de que determinadas vagas devem ser destinadas a negros a despeito do mérito de outros.

Um país justo não é um país que tem igualdade absoluta entre brancos, pardos, amarelos e negros; mas um país onde qualquer um, não importando a cor ou a origem, possa perseguir seus sonhos através do fruto de seu trabalho.

Numa sociedade justa, negros, brancos e amarelos têm as mesmas chances de vencer na vida e a cor da pele dos outros nunca é um obstáculo para o seu crescimento.

Já pensou se todo empresário tivesse que contratar seus funcionários de acordo com a composição racial do Brasil e não pelas suas qualidades? Quem crê que uma empresa contrataria o melhor candidato se fosse obrigada por lei a contratar um funcionário apenas de uma certa cor para preencher a uma cota?

4- Miscigenação
Vivemos no país mais miscigenado do mundo. No Brasil a maioria da população tem ancestralidade africana. Repito. Muito mais da metade das pessoas tem ascendência africana. Como então definir quem é e quem não é afrodescendente se até os mais brancos têm ascesdência negra? Será que para o governo alguns são mais negros do que outros?

5- Divisão social
As cotas racias produzem um efeito horrível na sociedade, pois elas aumentam a identificação racial num tempo onde sabemos que não existe raça branca ou negra – apenas a humana.

Se a ciência já jogou por terra a questão racial, por que deveríamos promover políticas públicas com base nelas? Se só existe a raça humana, por que o governo promove a identificação racial de seus cidadãos?

Todos somos humanos. Chega de coitadismo. Os negros têm o mesmo potencial de todos os outros. Quem precisa de cota é deficiente físico. Negros, assim como brancos, não precisam de um ajudinha para vencer se se esforçarem. Não há motivo para destinar cotas para pessoas apenas pela cor de suas peles.

6- Preconceito
As cotas raciais alimentam o preconceito ao invés de mitigá-lo. Eu vi isso.

Antes das cotas, todos se orgulhavam de ver um amigo médico ou advogado negro. “Viu? Tenho um amigo negro que venceu na vida através do próprio esforço”, pensavam muitos.

Hoje, uma pessoa negra que entra numa universidade pública já vai ter de enfrentar o “Viu? Só entrou por causa das cotas”. Graças às cotas, muitas pessoas ignorantes agora terão mais um motivo para crer que profissionais de cor são inferiores.

7- Ineficiência

As cotas raciais não provocam benefícios a longo prazo para seus privilegiados. Nos EUA, depois de mais de 40 anos de medidas afimativas, negros ainda tem uma renda menor e escolaridade inferior à dos brancos.

A única coisa que disparou nos últimos anos entre os negros foi o desemprego. Se depois de mais de 40 anos as medidas afirmativas não causaram seu efeito proposto, por que acreditar que um time que está perdendo não precisa ser mexido?

8- Perpetuidade
Uma vez iniciada as medidas afirmativas, elas nunca acabam. Existe no mundo algum caso de algum grupo alvo de medida afirmativa que tenha voluntariamente cedido às suas cotas? Não. Por que não? Porque as cotas não resolvem o problema.

Logo, as cotas são perpétuas, pois só acabam quando finalizam um objetivo que elas não podem cumprir. Além do mais, criticar cotas raciais já é considerado por muitos como racismo.

As pessoas têm medo de sofrer represálias. Nos EUA, quando o presidente Reagan tentou acabar com cotas, as empresas disseram que as continuariam mesmo se não fossem obrigadas.

9- Elitismo
O que as cotas fazem é apenas beneficiar os negros ricos que já existem. Negros estudantes de escolas particulares vão ter uma imensa vantagem sobre negros pobres. Logo, essas cotas raciais serão preenchidas por alunos que não precisam de cotas (ex: as filhas do Obama).

As cotas só facilitam a situação dos negros ricos e não elevam socialmente os negros como um todo.

10- Injustiça
As cotas são injustas e imorais. Se cotas devem ser impostas, então que não haja discriminação por parte de cor, sexualidade ou credo. Já pensou se religiosos e gays também demandarem cotas? As cotas agridem a sociedade com uma injustiça que viria a sanar outra injustiça.

Não devemos só ser contrários às cotas para negros, mas também para brancos, pardos, amarelos, judeus, índios, crentes, gays, gordos, magros, católicos, ateus, feios, bonitos, altos, magros e etc. As cotas devem ser apenas para quem sofre deficiênicia e para pobres, independente de “raça”, credo, altura e etc.

Injustiça não justifica injustiça. O erro não acerta um outro erro. Dois errados não fazem um certo. A única cota que o Brasil precisa é a cota de responsabilidade.

Ainda estou esperando o Garotinho crescer para publicar o meu comentário!

About these ads

105 comentários em “10 motivos para ser contra as cotas raciais

    • Obrigado pelo elogio Larissa. 90% dos comentários que recebo se resumem em ofensas a minha pessoa. É bom saber que alguém gosta do que escrevo.

      • oi qeaasas! Meus parabéns pelo texto! Realmente vc tocou em um assunto muito contundente. E eu concordo plenamente com vc, as cotas são só mais uma forma de injustiça mascarada sobre uma correção à própria injustiça! Continue escrevendo assim!

  1. Meu querido, vá estudar sociologia e história brasileira antes de ficar postando esse tipo de lixo que só demonstra a sua ignorância perante o assunto!! (e ao contrário do que vc deve estar pensando, eu não sou negra e sempre estudei em colégio particular).

    • Cara Kelly, obrigado pelo comentário. Sua posição ilustra um pouco o politicamente correto que impera no Brasil. Você não argumentou nada e ainda me julgou como ignorante. Só resolvi aprovar seu comentário para mostrar como as pessoas são intelectualmente desonestas. Como não conseguem refutar os argumentos, então atacam quem os escreve (ad hominem).

      Você, me desculpe, pegou muito pesado quando disse “ao contrário do que vc deve imaginar”. Claramente foi uma frase racista, pois mais de 75% dos brasileiros aprova o sistema de cotas, sendo que, se 50% são negros, obviamente existem brancos afrocoitadistas. Eu, por exemplo, mesmo não tendo muitos traços, sou descendente de africanos, e mesmo meus parentes afrodescendentes felizmente repudiam essa ideologia racista de cotismo. Só deixando claro, já que você usa seu currículo como argumento, aqui fica o meu: não sou branco e estudei em colégio público.

      • Tem todo meu apoio e parabens pela “grandeza” de responder á altura desses ignorntes, a exemplo dessa tal de Kelly.

    • HAHAHHAHA Sociologia… Maior fabrica de doentes mentais deste país.. Faculdade de Sociologia é o emburrecimento total, provoca retardamento mental grave.. e digo isso pq conheço vários, inclusive com doutorado. Em sua grande maioria tudo fãs de Chê Guevara, Lênin, Fidel Castro e outros genocidas socialistas / comunistas.. Interne-se seu doente e de tabela vê se apare a sua barba e pare de fumar maconha. Pode enfiar seu diploma no rabo, pq essa porcaria não serve pra nada, assim como o politicamente correto, teoria falida que só é funciona na cabeça de ignorantes.

      (agora pega e tenta refutar isso corrigindo os meus erros de português, pq raciocínio lógico eu já sei que vc não tem)

    • Sempre estudou em colégio particular? Por isso que o pessoal por aí usa a frase “pagou, passou”. Não tenho ascendência africana, já estudei em colégios públicos e particulares e sou contra as cotas. Negros não são burros. Burro é quem acredita que as cotas não são mais um mecanismo de segregação, nem um artifício para manipular a massa.

  2. eu sou contra as cotas raciais, pois como você citou em uma parte do texto” todos somos humanos. chega de coitadismo”. onde já se viu eu estudar o ano todo, esquecendo de férias e derrepente vem uma pessoa e ocupa a minha vaga simplesmente pelo fato de ser negro. A cor não define o caráter e nem a competência de uma pessoa. PARABÉNS pelo texto. muito bom!

  3. Ao invés de estarem fazendo leis a favor de cotas raciais, os governantes poderiam estar investindo na educação Brasileira, assim os negros e qualquer um outro cidadão não estariam sendo tratados como “pobres coitados” e sim teriam um apoio de uma boa educação. Só pra lembrar que não sou preconceituosa até porque o meu pai é negro e não teve oportunidade de ter uma boa educação escolar e que sou contra apenas as cotas raciais e estudo em escola publica, mas não é porque estudo em escola publica que vou me confiar em politicos e cotas, quero mostrar em qualquer prova ou concurso e vestibular a minha capacidade de raciocinio e aprendizado.

  4. As cotas só vão aumentar as injustiças no dia a dia do país. Agora mesmo , com esses aumentos absurdos de cotistas nas universidades federais,veremos simplesmente sumir as poucas ilhas de excelência acadêmicas que temos. Muitos candidatos terão seus sonhos interrompidos pois, apesar de serem mais qualificados , terão suas vagas entregues a pessoas menos capazes, que, dependo do curso , não conseguirão sequer concluí-los, ou serão empurrados pelos administradores das UFs, tornando-se profissionais de segunda(não todos os cotistas, muitos são bons, não precisavam dessa ajuda). Querem corrigir as injustiças históricas sofridas pelos negros com uma injustiça maior ainda contra quem não tem nada com isso, as pessoas que serão prejudicadas.

    • Jânder as cotas não vão aumentar as injustiças, você sabe disso. obs: sou branca, estudei a minha vida toda em escola pública e consegui passar no vestibular tradicional (na época)…

    • a verdade é que somos reféns e infelizmente não podemos lutar para acabar com isso. Os ricos sempre serão os maiores beneficiados com as melhores universidades, o pobre (independente da cor ou raça) minimamente terá vez. políticos, empresários e outros mais que usam do nosso suor para tirar vantagens…

  5. Primeiramente gostaria de parabeniza-lo pelo blog, é uma excelente fonte de informação num país onde existe claramente um monopólio da informação das organizações globo. E o que mais gosto aqui é que as informações têm fontes confiáveis, coisa muito difícil de encontrar na internet hj em dia…

    Bom, sou negro, engenheiro, estudei em colégio municipal, estadual, federal e particulares. Posso dizer que tive uma boa educação até o ensino médio, e fiz uma faculdade federal boa também. Sou a favor das cotas e adorei encontrar este tópico aqui pois gosto de encontrar bons argumentos contra o meu ponto de vista, é bom para refletir e reforçar(ou não) o que eu acredito. Vou aqui tentar argumentar em cada item para enriquecermos a discussão.

    1- Não vejo as cotas raciais como compensação portanto acho que aqui eu penso de forma parecida com você.

    2- Realmente os brancos de hj não tem responsabilidade pelo que foi feito no passado, mas os negros de hj ainda sofrem as consequências das atitudes dos membros dominantes da sociedade do passado(em sua imensa maioria brancos). Vejo as cotas como uma tentativa ruim de tentar amenizar estes efeitos e acho valido, pois pela primeira vez há uma tentativa, mesmo que isso tenha como efeito colateral a redução do espaço dos brancos de hoje em dia.

    3-Bom enquanto a educação de negros e brancos for tão diferente não tem como falar em meritocracia. Não se pode comparar alguém que sempre estudou no CIEP tia teteca com um aluno do São Bento(melhor colégio do Rio de Janeiro). Aplicar a eles uma prova de matemática e achar que quem tirou a maior nota tem mais mérito. Privilegiar quem tem menos condições, quem teve menos oportunidades é sim uma forma de aumentar a meritocracia do processo.

    4-É verdade, existe uma miscigenação que dificulta muito a identificação de “raças” aqui, entretanto apesar de não existir “raças” existe racismo e ele é que está sendo combatido nestas políticas. Quando uma pessoa atravessa a rua ao vir de encontro comigo ela está fazendo um julgamento baseado preponderantemente na minha cor de pela, ou seja, está sendo racista. Porém será que ela está errada? Nós seres humanos desenvolvemos uma capacidade de evitar perigo buscando padrões. Provavelmente essa pessoa foi assaltada, ou viu pessoas sendo roubadas majoritariamente por negros isso a faz evitar situações parecidas no caso cruzar com negros em locais desertos. Outra coisa para refletir neste aspecto seria o fato de na faculdade eu ser o único negro na sala de aula, assim como os colégios particulares em que estudei, porém no colégio municipal e nos estaduais não foi assim, eu não era o “cirilo” no colégio municipal. Porque lá tinham muitos negros e esse apelido não fazia sentido. Portanto baseado na minha experiência, a luz da ciência não existem raças,mas na prática do dia a dia existem sim.

    Bom acho que já escrevi demais.Dependendo do que for feito com este texto eu volto pra continuar

    • 1- VOU DEIXAR BEM CLARO MAIS UMA VEZ, NÃO SOU CONTRA COTAS, SOU CONTRA AS COTAS RACIAIS (OU EM VIRTUDE DE QUALQUER OUTRO CLASSISMO). CREIO QUE QUEM DEVE RECEBER A COTA É O POBRE, INDEPENDENTE DE COR, SEXO, CREDO ETC.

      Obrigado pelo comentário Fernando. Desculpe pela demora, mas é que recebo muitos comentários ofensivos por parte de defensores dos defeitos humanos. Li seu comentário inteiro e pela sua educação, é um dever meu publicá-lo.

      Vamos lá. Diferente do que a maioria das pessoas pensam, sempre morei na periferia e estudei grande parte no péssimo ensino público. Meus pais não tinham como pagar uma faculdade particular. Então me esforcei. Eu e meu irmão, sendo descendentes de indígenas, reafirmamos que não somos racistas e que somos da RAÇA HUMANA, ao negar ao cotismo. Ambos passamos para excelentes públicas, mas foi por muito pouco. Ele passou em último e eu só na repescagem. Ou seja, por causa dessas cotas, quase que uma pessoa com uma nota menor, mas cotista, pega as nossas vagas. As cotas foram uma forma canalha dos políticos mascararem a realidade do péssimo ensino de base no brasil. No meu caso, meu colegas cotistas da facul eram em grande parte provenientes do ensino privado, ou seja, não precisavam de cotas. Cabe a uma pergunta para quem apoia as cotas “raciais”: Você acha justo que as filhas do OBAMA tenham cotas e as de um branco pobre não?

      2- Tenho dois primos favelados, um é preto e o outro é loiro. Por que motivo o preto teria uma cota e o loiro não? Por que motivo uma pessoa de cor que é mais rica que meu primo loiro teria direito a uma cota e ele não? Você crê que existe raça? A ciência já não provou que não existe? Por que perpetuar o racismo usando algo que já caiu para nortear políticas públicas.

      3- Contra qualquer crendice, cabe notar a realidade. O povo judeu foi escravizado por mais de 300 anos e hoje dos 300 bilionários mais ricos, 100 tem descendencia judaica. Como isso aconteceu? Por acaso foi por causa de cotas? Não, foi porque o povo judeu soube desde o início que tinha que vencer pelo mérito.

      4- Pelos meu traços (cabelos e pele parecida com um índio), uma pessoa certa vez me perguntou de foram jocosa se eu era cotista. Me indignei. Por isso que sempre alerto para as pessoas de cor da minha família: não aceitem cotas ou outras armadilhas do governo, estudem!

      Volte sempre!!!

      • Parabéns pelo texto! Acho legal que alguém tenha coragem de falar sobre esse assunto sabendo que vai ser tratado de forma ignorante por alguns. Sou SUPER CONTRA as cotas raciais, pois isso é a pior forma de racismo e coitadismo. Todos temos as mesmas oportunidades de estudar, trabalhar e crescer na vida. Acho que já passou o tempo desse coitadismo. Novamente, parabéns pelo texto.

      • Obrigado pelo comentário Alana. O que você disse é verdade, basta ir contra a agenda da esquerda (marxismo, classismo, cotismo, abortismo, gayzismo e etc) para que eu receba uma enxurrada de comentários de ódio diariamente. É realmente preciso ter coragem para tomar uma posição contra o politicamente correto e a agenda da mídia manipuladora. Volte sempre.

      • Desculpe minha intromissão(ainda mais com um comentário tão atrasado), mas percebi que em certa parte do texto você menciona o possível beneficiamento da elite negra com o sistema de cotas raciais, porem primeiramente, antes de ser aceito nas cotas raciais, deve-se ter cursado o ensino médio todo em escola publica, o que torna o argumento um pouco falho, afinal pessoas da “elite” geralmente tem seus filho matriculados em escolas particulares.

      • Claro Dalton, disse isso porque já existe quem queira colocar cotas raciais nas universidades e no serviço público independente de onde a pessoa cursou o ensino médio.

        Sua indagação foi super pertinente. O cotismo avançará no Brasil, prova disso é o que o Ministério do Planejamente quer: destinar cerca de 20% das vagas em empresas públicas para cotas raciais.

        Obrigado pelo comentário.

      • 2- Realmente os brancos de hj não tem responsabilidade pelo que foi feito no passado, mas os negros de hj ainda sofrem as consequências das atitudes dos membros dominantes da sociedade do passado(em sua imensa maioria brancos).

        Então vamos fazer cotas para os nordestinos que são discriminados, os gordos que sofrem bullying, os albinos que sofrem com os olhares tortos..

  6. Muito bom texto.Outra empulhação é o termo afrodescendente.Então se é assim os brancos devem ser chamados de eurodescentes,os indios de amerindiodescendentes e etc.

    • Caro Paulo, creio que você não deve chamar um grupo por um nome que eles não gostam. Se querem ser chamados de afrodescendentes, ótimo. O problema é que praticamente todos os brasileiros, inclusive esse escriba, têm descendência africana, mesmo que longínqua.

      O correto é começar a derrubar esses muros raciais de branco e preto e começar a tratar todos como seres humanos. É injusto que, por causa de uma minoria de racistas enrustidos, toda a população vire refém eterna do coitadismo racial.

      Meu sonho é ver o que Martin Luther King um dia almejou: uma sociedade que não vê cor.

  7. Gostei muito do post, principalmente a parte ” Ainda estou esperando o Garotinho crescer para publicar o meu comentário! ” Texto muito rico, me ajudou muito na minha redação ;) Abraços .

    • Obrigado Larissa. Meus textos são muito usados em debates e redações escolares. É bom saber que existe pelo menos um lugar na internet onde posso ajudar as pessoas.

      Abraços e volte sempre.

    • Caro Gabriel , obrigado pelo comentário.

      Para cada elogio como esse que você me deu eu devo receber uns 10 xingamentos que eu(obviamente) não publico. Bom saber que alguém pensa igual a mim sobre esse ponto. Hoje, o politicamente correto está fazendo que muitas pessoas julguem as pessoas que são contra as cotas como racistas. A realidade é que os verdadeiros racistas são aqueles que realmente acreditam que existe raça (seja por critério de fenótipo ou de genotipagem).

      Abraços. Volte sempre.

  8. Muito bom o texto, agora é esperarmos o governo acordar e ver que ele próprio está discriminando os negros!

    • Obrigado pelo comentário Nathália.

      Nossos políticos sabem muito bem que estão discriminando racialmente. O que eles querem é que sempre haja desigualdade para que possam capitalizar politicamente em cima do coitadismo e da vitimização alheia. Eles são os verdadeiros racistas.

      Abraços.

  9. Achei bem interessante você comentar sobre esse assunto, que, hoje infelizmente causa grande desmotivação para alguns negros (como eu), que está preste a prestar um vestibular em redes publicas. Eu quero e sei que não só como eu tem muitos vestibulandos com qualidades e potencias suficientes para passar em uma prova e não ser colocado e ali e te verem como “coitados”. Pois é assim que eu vejo que “eles” nos enxergam.
    Gostei muito quando ao procurar sobre esse assunto vejo uma pessoa tão motivada a colocar sua opinião e mesmo assim aceitar criticas. Até porque nem sempre podemos deixar claro nossas opiniões.
    O seus texto e seus argumentos estão simplesmente de parabéns.
    E deixo claro que eu não sou a favor de COTAS PARA NEGROS.

  10. Gostei muito do material que encontrei aqui, pois estou fazendo uma monografia para meu curso de Direito e escolhi um tema relacionado às cotas raciais para ingresso nas universidades e faculdades, pelo andar da carruagem, eu penso que esses dados que afirmam que 75 % da população é a favor das cotas e apenas 25% é contra não são verdadeiros. Pelos resultados da minha pesquisa, por enquanto, mais de 50% é contra, desconfio dessa pesquisa, acho que deve ter sido manipulada para fazer com que o Governo Federal pareça ter o apoio da população em geral. Eu sou negro, já fui muito pobre, sempre estudei em escolas públicas e nunca fui beneficiado com cotas para atingir meus objetivos, não acredito que uma política de cotas vá resolver o problema da falta de oportunidades. De que adianta jogar um monte de profissionais no mercado, se o preconceito persistir, ainda mais porque essa mesma política de cotas é responsável pelo aumento do preconceito, visto que as próximas gerações de negros formados no Brasil serão apontados como cotistas, sendo ou não cotistas e isso vai gerar uma certa desconfiaça em quem for contratar esses profissionais. Em um tempo em que a discriminação quase não existe, onde o preconceito é apenas velado e intrínseco em cada pessoa, não sendo possível mudar dentro delas, entretanto essas pessoas não podem manifestá-lo, porque seria crime, surgem essas iniciativas de institucionalizar o racismo e determinar a diferenciação das pessoas pela cor da pele ou o tipo de cabelo. Acho ridícula essa iniciativa governamental, acho também que faz parte de um plano de destruíção do bom ensino e manutenção do sucateamento do aparelho estudantil. Pois, enquanto se estiver obrigando as universidades, contra a vontado dos seus administradores, a receberem estudantes sem meritogracia, descendo ainda mais o nível do ensino, pois para se igualar na prática, tem que se igualar por baixo, porque é que você acha que os números apontam para uma equiparação das notas entre cotistas e não cotistas? porque o nível vem sendo puxado pra baixo para que todos possam acompanhar. Enquanto isso ocorrer na prática, o Governo vai se lixar para promover melhorias no ensino básico e esses afronegrões que dizem defender os meus direitos e de outros negros, sem a nossa permissão e consentimento, só falam asneiras e se julgam coitados e oprimidos pelos regimes desde a escravidão. Se meus tataravós sofreram com a escravidão, foram acoitados, torturados e obrigados ao trabalho forçado, eu lamento muito por eles, mas não sou louco de achar que o folho do meu vizinho que é branco deva pagar por isso, ele não tem nada a ver, passado é passado, cada um tem que vencer pelos seus próprios méritos, esse tão sonhado resgate da dignidade dos descendentes da senzala só será atingido quando o ser humano for visto como ser humano, sem distição de cor ou outro esteriótipo, o que importa não é a quantidade de pessoas de determinado grupo que atinge o sucesso, mas a qualidade dos profissionais e a certeza de que qualquer um pode chegar lá, independente de ajuda do governo. Quantidade não é comparativo, isso é só estatística, o importante é que eu não seja impedido de exercer qualquer função dentro da minha nação em detrimento da cor da minha pelo. Deixo aqui uma mensagem: “Ninguém aqui no Brasil é impedido de subir na vida, nem de ocupar nenhuma função ou cargo em razão da cor da pele, só os idiotas medíocres pensam assim, Joaquim Barbosa não teve nenhuma estrutura financeira, familiar, muito menos ajuda gevernamental para chegar onde chegou”. Peço aos estudantes negros que de nenhuma forma pensem nessas cotas como um objetivo, estudem e tentem fazer seus vestibulares, ENEM, etc., como se isso não existisse e até digo mais, boicotem esse programa racista, inscrevam-se como se isso fosse um abuso, não declarem-se negros ou indígenas, inscrevam-se como seres humanos. Conquistem seus espaços, como eu estou conseguindo o meu e tantos outros conseguiram, já estou no meu segundo curso superior e tenho um bom emprego que me garante tudo que uma família precisa pra viver bem, se é possível para alguns, é possível para todos, só depende da nossa vontade e dedicação. Ao invés de ficarmos discutindo sobre a criação de cotas (depois da lei de cotas raciais para ingresso nas faculdades, já tem um grupo de “defensores” dos direitos dos negros que pleiteia cotas raciais para o emprego público, se isso acontecer será o fim da democracia), deveríamos estar fazendo protesto e manifestações para a melhoria do ensino público, de forma que os professores fossem mais valorizados, tivessem acesso a uma estrutura melhor para trabalhar, fossem incentivados a procurarem se aperfeiçoarem, etc. Só assim essa disparidade na educação dos mais pobres e dos mais ricos iria aos poucos se esvaindo até se chegar a um grau aceitável de competitividade.
    Muito obrigado pela oportunidade de expressar meu pensamento.

  11. Gostei muito do material que encontrei aqui, pois estou fazendo uma monografia para meu curso de Direito e escolhi um tema relacionado às cotas raciais para ingresso nas universidades e faculdades, pelo andar da carruagem, eu penso que esses dados que afirmam que 75 % da população é a favor das cotas e apenas 25% é contra não são verdadeiros. Pelos resultados da minha pesquisa, por enquanto, mais de 50% é contra, desconfio dessa pesquisa, acho que deve ter sido manipulada para fazer com que o Governo Federal pareça ter o apoio da população em geral. Eu sou negro, já fui muito pobre, sempre estudei em escolas públicas e nunca fui beneficiado com cotas para atingir meus objetivos, não acredito que uma política de cotas vá resolver o problema da falta de oportunidades. De que adianta jogar um monte de profissionais no mercado, se o preconceito persistir, ainda mais porque essa mesma política de cotas é responsável pelo aumento do preconceito, visto que as próximas gerações de negros formados no Brasil serão apontados como cotistas, sendo ou não cotistas e isso vai gerar certa desconfiança em quem for contratar esses profissionais. Em um tempo em que a discriminação quase não existe, onde o preconceito é apenas velado e intrínseco em cada pessoa, não sendo possível mudar dentro delas, entretanto essas pessoas não podem manifestá-lo, porque seria crime, surgem essas iniciativas de institucionalizar o racismo e determinar a diferenciação das pessoas pela cor da pele ou o tipo de cabelo. Acho ridícula essa iniciativa governamental, acho também que faz parte de um plano de destruição do bom ensino e manutenção do sucateamento do aparelho estudantil. Pois, enquanto se estiver obrigando as universidades, contra a vontade dos seus administradores, a receberem estudantes sem meritogracia, descendo ainda mais o nível do ensino, pois para se igualar na prática, tem que se igualar por baixo, porque é que você acha que os números apontam para uma equiparação das notas entre cotistas e não cotistas? Porque o nível vem sendo puxado pra baixo para que todos possam acompanhar. Enquanto isso ocorrer na prática, o Governo vai se lixar para promover melhorias no ensino básico e esses afronegrões que dizem defender os meus direitos e de outros negros, sem a nossa permissão e consentimento, só falam asneiras e se julgam coitados e oprimidos pelos regimes desde a escravidão. Se meus tataravós sofreram com a escravidão, foram acoitados, torturados e obrigados ao trabalho forçado, eu lamento muito por eles, mas não sou louco de achar que o folho do meu vizinho que é branco deva pagar por isso, ele não tem nada a ver, passado é passado, cada um tem que vencer pelos seus próprios méritos, esse tão sonhado resgate da dignidade dos descendentes da senzala só será atingido quando o ser humano for visto como ser humano, sem distinção de cor ou outro esteriótipo, o que importa não é a quantidade de pessoas de determinado grupo que atinge o sucesso, mas a qualidade dos profissionais e a certeza de que qualquer um pode chegar lá, independente de ajuda do governo. Quantidade não é comparativo, isso é só estatística, o importante é que eu não seja impedido de exercer qualquer função dentro da minha nação em detrimento da cor da minha pelo. Deixo aqui uma mensagem: “Ninguém aqui no Brasil é impedido de subir na vida, nem de ocupar nenhuma função ou cargo em razão da cor da pele, só os idiotas medíocres pensam assim, Joaquim Barbosa não teve nenhuma estrutura financeira, familiar, muito menos ajuda governamental para chegar onde chegou”. Peço aos estudantes negros que de nenhuma forma pensem nessas cotas como um objetivo, estudem e tentem fazer seus vestibulares, ENEM, etc., como se isso não existisse e até digo mais, boicotem esse programa racista, inscrevam-se como se isso fosse um abuso, não se declarem negros ou indígenas, inscrevam-se como seres humanos. Conquistem seus espaços, como eu estou conseguindo o meu e tantos outros conseguiram, já estou no meu segundo curso superior e tenho um bom emprego que me garante tudo que uma família precisa pra viver bem, se é possível para alguns, é possível para todos, só depende da nossa vontade e dedicação. Ao invés de ficarmos discutindo sobre a criação de cotas (depois da lei de cotas raciais para ingresso nas faculdades, já tem um grupo de “defensores” dos direitos dos negros que pleiteia cotas raciais para o emprego público, se isso acontecer será o fim da democracia), deveríamos estar fazendo protesto e manifestações para a melhoria do ensino público, de forma que os professores fossem mais valorizados, tivessem acesso a uma estrutura melhor para trabalhar, fossem incentivados a procurarem se aperfeiçoarem, etc. Só assim essa disparidade na educação dos mais pobres e dos mais ricos iria aos poucos se esvaindo até se chegar a um grau aceitável de competitividade.
    Muito obrigado pela oportunidade de expressar meu pensamento.

  12. CARA meus parabéns por esta postagem. Há muito tempo não via algo tão lúcido e didático na internet. Só no primeiro tópico é bom que se diga que não foram os brancos que escravizaram os negros. JÁ EXISTIA ESCRAVIDÃO NA ÁFRICA QUANDO OS EUROPEUS LÁ CHEGARAM, os europeus, os portugueses num primeiro momento e depois ingleses, holandeses, espanhóis e franceses, única e exclusivamente se aproveitaram de uma situação social JÁ IMPLANTADA NO CONTINENTE AFRICANO para desenvolver comércio com os habitantes da região. É bom que se frise também que algo como as cotas raciais significa o favorecimento de uma determinada classe de indivíduos em detrimento de toda a coletividade, algo típico dos ESTADOS CORPORATIVISTAS TOTALITÁRIOS, que não se coaduna com os princípios e fundamentos do Estado democrático de direito

  13. Então, seja coerente, larga a mão de pensar só no seu umbigo, pelo jeito que você pensa duvido que já foi em um albergue, ou em uma favela, a questão é que quase a metade da população é parda ou negra, e somente 4 a 5 % conseguem entrar em universidades públicas, ou seja sem as cotas seria quase impossível essa população conseguir ingressar no ensino superior, até poderia acabar com as cotas se a educação pública fosse de qualidade ( porque a maior parte dos negros estudam em escola publica, no ensino médio).
    E negros não tem as mesmas oportunidades que os brancos de um rolé na faculdade de medicina da USP, você não achará nenhum negro lá, a não ser os seguranças, isso quer dizer que os lugares hierárquicos mais altos ainda não foram assumido pelos negros, nos EUA por exemplo se não houvesse racismo não iria demorar tanto para um negro ser presidente, e o que você me diz do apartheid ?
    Você pode dizer que não há raças, mas não é isso que vivenciamos diariamente, todos os negros já foram descriminados um dia, por mais que você não veja ainda á uma parede invisível que cobre a visão da sociedade.
    Pode sim um negro rico, ultrapassar um pobre, seus argumentos me convenceriam se você postasse uma relação de negros ricos no Brasil, talvez não passaria de 4 %, ou seja a concorrência deles nem se compara com os mais favorecidos.
    Achei seus argumentos sem consciência, mas te indico dar uma passeada em uma favela converse com um mendigo e veja como o país trata “Todos quer são humanos”. Outra sugestão é que você assista esse documentário talvez lhe ajude a refletir .
    http://www.youtube.com/watch?façajabáemoutrolugar
    (claro se você tiver coragem de assistir até o final)

    • Cara Jessica, obrigado pelo comentário.

      1- Já morei um ano num albergue em SP e hoje moro num apartamento em frente a uma favela. Não me julgue sem me conhecer, isso é coisa de hipócrita.

      2- Tenho parentes favelados,brancos e negros. Pouco me importa a cor da pele deles. Não é a cor o motivo da pobreza, mas todo um sistema socioeconômico que começa no péssimo ensino de base.

      3- É essa noção racista de que existe brancos e negros é que perpetua o racismo. Todos somos iguais.

      4- Estudei no ensino público e passei para uma universidade pública. Tive cotas? Não. Sou branco? Não. Sou rico? Não. Me esforcei? MUITO. Sendo assim, meu exemplo pessoal é a prova de que é possível vencer as adversidades da vida através do trabalho. É muito mais fácil culpar os outros(no caso, “os brancos”), difícil é perseguir seus sonhos e agarrar as oportunidades.

      5- Como estudei na primeira universidade a implementar essa loucura que é o sistema de cotas raciais, pude viver as consequências dessa medida. Mais da metade das vagas para cotistas não é preenchida porque eles não conseguem a nota mínima, que é 2. Logo, muitos estudantes bons ficam sem vaga para que alunos sem base entrem na universidade. Só gostaria de lembrar que esses estudantes ganham uma bolsa em dinheiro do governo e que muitas vezes têm mitas dificuldades para acompanhar o ritmo, principalmente no início do curso.

      6- A solução do Brasil não é cota para isso ou para aquilo. Isso é uma medida paleativa. A solução é melhorar o ensino de base, para todos, tanto para brancos como para os negros. Uma reforma educacional é a única coisa que pode fazer com que o filho de um pobre tenha chances de competir com um rico. Mas é claro, os políticos preferem que as cotas do que uma reforma. Alienar é sempre melhor.

      Abraços.

  14. somente idiota p falar q todo povo brasileiro e descedente de africano….vai estudar mais seu lixo….p sua informacao na decada passada. teve pesqiisa genetica confirmando q quase metade das pessoas de cor parda sao.mamelucas (indio com branco).
    onde ja viu falar q mameluco e africano seu imbecil e outra coisa nao ha nada q comprove q.todos os.brasileiros sao afrodescedentes…eu tenho descedencia japonesa e europeia…

  15. AH gostaria de fazer um aditamento ao meu comentário postado no dia 13/08/2013. Gostaria de ressaltar de forma bastante enfática, para que esses grupos ligados a movimentos de luta raciais, bastante oportunistas e acaudalados de pessoas que querem BENEFÍCIOS DO ESTADO sem nenhuma contrapartida, algo típico de Estado totalitários. O CONTINENTE AFRICANO SEMPRE FOI UM COVIL DE PÓLVORA, SEMPRE NA IMINÊNCIA DE EXPLODIR. Tribos africanas sempre estiveram constantemente em guerras. GUERRAS, FOMES, PESTES, DOENÇAS SEMPRE FORAM ELEMENTOS CARACTERIZADORES DO CONTINENTE AFRICANO. O povo africano sempre sofreu na pele com a irresponsabilidade de seus governantes. A ÉPOCA DE MAIOR PROSPERIDADE DO CONTINENTE AFRICANO FOI JUSTAMENTE O ENTRE A SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX E PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX, ÉPOCA EM QUE AS NAÇÕES EUROPEIAS ADMINISTRAVAM O CONTINENTE. Depois que as nações europeias saíram do continente a dinamite voltou a explodir. E veio pior ainda, porque além das guerras e tal vieram novas doenças como a AIDS E O EBOLA.HOJE A MAIOR PARTE DAS NAÇÕES AFRICANAS SÃO CONSIDERADAS NAÇÕES FALIDAS. Sendo assim, julgo assertivo destacar essas informações para salientar meu posicionamento de ser contra as cotas raciais. Tendo em vista que grande parte das lideranças de movimentos raciais atribuem a precariedade das condições sociais de boa parte da população afrodescendente á exploração histórica que eles supostamente haviam sofrido das demais nações. Creio ser necessário um exercício de auto-crítica nesse sentido por parte dessas pessoas que tem como ídolo um ex pagodeiro machista, que bate em mulher, que é eleito para um cargo público, recebe as custas do Estado e nunca aparece para trabalhar. E PIOR TEVE UM CARGO MUNICIPAL CRIADO EXCLUSIVAMENTE PARA ELE PELO PREFEITO FERNANDO HADDAD. Como dizia a música de Renato Russo : SE QUISER ALGUÉM EM QUEM CONFIAR CONFIE EM SI MESMO. Pergunto a esse pessoal que defende as cotas raciais VOCÊS CONFIAM EM SI PRÓPRIOS?

  16. Parabéns pelo texto! Também sou contra cotas raciais e não é apenas porque sou branca, mas sim porque estamos em pleno no século XXI e não acho justo que algum ser humano possui vantagens por sua cor de pele, seja ele branco ou negro.

  17. Concordo com o Valdemir Rodrigues, pois a maioria das pessoas ainda são humanas. Então pensam que índios, brancos e negros tem a mesma capacidade. A mídia manipulou a porcentagem !!!!!!!!!!!!!!!!!!
    o que deve fazer é acabar com cotas raciais e juntar para quem estudou em escolas públicas. As cotas raciais não resolvem o problema da educação pública do país. No nosso país a maioria das pessoas se consideram negras, e que eu saiba a piramide desse país é: * Com isso a maioria da população são pobres e negras!
    ** **
    ********
    ************
    ******************* (não sei se a ilustração deu pra entender… )
    MAIORIA DE NEGROS, MAIORIA DE POBRES FREQUENTADORES DE ESCOLAS SEM BASE NENHUMA!

  18. as cotas raciais seriam desnecessária para um país desenvolvido onde todos teriam oportunidades iguais para crescerem e seguirem uma carreira plena no mercado de trabalho, mas esse não é o caso do nosso país, como podem ter notado, a maioria que compõe a camada pobre da sociedade, são negros, então imagine alguém que nasce numa família onde os gastos diários com as despesas básicas não possa ultrapassar 15 reais, levando em conta que isso é oque seria gasto com oque sobra do salário após pagar suas contas mensais fixas (eletricidade, água, aluguel etc…), alguém que nasce numa família assim teria que ter muita força de vontade e bastante sorte para conseguir uma vaga numa universidade particular de alto prestigio e realizar um sonho de seguir carreira de médico…então pensando bem, oportunidades assim seriam melhor aproveitadas se fossem destinada aos pobres, independente da cor de sua pele.

  19. Esse tema de cotas raciais no Brasil é um colossal de demagogia. Assim como a lei 9459/97 é digna de um romance de Franz Kafka. Essa lei cria um grande vazio institucional, desembocando em grande celeuma e insegurança jurídica. Só pra exemplificar o caso da jovem Mayara Petruso condenada por postar comentários no facebook. A postura draconiana que a justiça brasileira teve com a jovem não é a mesma que presenciamos nos anais do nosso judiciário. Será que a justiça teria a mesma gana pra julgar um SERGIO CABRAL da vida. È um caso pra se refletir. E espero que a sociedade brasileira se torne mais crítica com relação á essas questões, pois se não novos ex- pagodeiros espancadores de mulheres estarão surgindo para pleitear altos escalões da vida pública brasileira.

  20. Até parece que a escravidão foi inventado pelos brancos.Os negros escravizados que vieram para o brasil,foram escravizados pelos irmãos africanos e vendidos aos comerciantes.

  21. Boa tarde. Lendo atentamente os textos acima, vejo a problemática criada pelos nossos grandes representantes. Dizer que nos representam é honestamente vergonhoso. Podem representar a “massa” que sustentam com esse tipo de engenhoca discutida aqui – cotas raciais- por exemplo. Eu sou branco, filho de pai e mãe pobres, bem como o restante da família. Meu pai começou a trabalhar com oito anos de idade ajudando um irmão mais velho. Seu trabalho era árduo, não teve infância. Seu estudo foi concluído na parte noturna. Ele nos bancou em escola particular ( eu e os irmãos) porque sentiu na pele não a deslealdade do ensino (década de 70) mas sim a falta de tempo para se dedicar e resolveu rumar para o comércio. No decorrer dos anos sempre dizia que a única coisa que podia fazer a diferença era o estudo aliado ao interesse pessoal. Cresci em uma cidadezinha ínfima do interior do Piauí e vi meus amigos ficando pelo meio do caminho, tanto em escolas públicas como nas particulares, assim como vi outros tantos triunfarem em ambas. Eu suponho que cotas raciais foram concebidas para tentar corrigir uma diferença secular em termos de oportunidades entre as intituladas raças branca contra negra e indígena. A luz da antropologia não há essa distinção, porém o grande distanciamento que separa as pessoas hoje está no campo social. A grande concentração de renda nas mãos de poucos sempre forçará à eleição do pão e circo e a minoria crítica ficará sufocada cada vez mais. Num país onde se vê bolsa para detento, drogado, desocupado etc, o que vamos esperar. Leis e outros regulamentos diversos são empurrados goela abaixo, frutos de negociatas entre partidos políticos, entre Nações Estados, Comissões Internacionais de direitos humanos, grupos representantes de minorias etc. A questão é mais profunda, não se trata apenas de colocar vinte acadêmicos “negros”, 20 “indígenas” e 20 “brancos” dentro do curso de medicina na UNB. É preciso compensar a meu ver na parte social levando em consideração as condições de cada um sem deixar de lado o mérito do ingresso.

  22. Eu adorei o seu texto, e algumas repostas para comentários fúteis que encontramos aqui. Curso Direito e estou fazendo um trabalho sobre essa tema por isso estou pesquisando tanto opiniões favoráveis como contras. Eu sou totalmente contra e minhas justificativas não fogem do que já vimos por aqui, motivo pelo qual não tem o pq ficar tão repetitivo, então não irei expor as mesmas. Bem, não sou de fazer comentários em quaisquer publicações, mas resolvi comentar este quando li uma resposta sua onde disse : “Para cada elogio como esse que você me deu eu devo receber uns 10 xingamentos que eu(obviamente) não publico.” Então venho aqui para que seja mais um elogio, vemos que os xingamentos veem de pessoas sem classe, informações contundentes, e argumentos para expor a favor de sua opinião. Já como vimos aqui, os elogios sairam de pessoas que sabem oq falam e inteligentes… (não que os que sejam a favor não são, até pq vimos uma opinião aqui super interessante, inteligente e educada). Enfim, Parabéns.. e obrigada por ter me ajudado em minha pesquisa… rs! Abraços

  23. Gostei bastante do texto, me ajudou no debate da minha escola!! É um texto muito rico e diferenciado. Acho as cotas raciais um Exemplo de Racismo, mas não entendi muito bem a parte em que você disse que as cotas são imorais!!

  24. Olá. Que boa surpresa um texto como esse. Eu estava procurando por argumentos contra cotas raciais, mas é evidente que, no modismo do ‘politicamente correto’, pouca coisa se pode encontrar. A internet é como um caldeirão de bruxa: entra muita asa de morcego, muita cabeça de ganso, sai muita fumaça e nunca sabemos se a poção é para o bem ou para o mal. Mas que feliz encontro com esse blog, ao menos numa primeira lida!
    Sou absolutamente contra qualquer cotismo de raças – esse termo (raça) perdeu toda razão biológica de ser, e sobrevive às custas de uma retórica vagabunda que a politicagem e a mídia tentam nos vender. Os argumentos válidos a favor do cotismo (de raças) são todos baseados em critérios politicos apenas, ou apelam ao emocionalismo estúpido – não são sólidos, pois se perdem em premissas ilusórias, isso para se falar apenas da estrutura lógica desse tipo de discussão. Como você deixou claro: não há fatos expostos sobre esse tipo de cotismo, não há dados, não há pesquisas que o fundamente, não há estudos comparativos com outros países ou estudos temporais… não há nada simplesmente porque não é ‘politicamente correto’ mostrá-los.
    Um dos mais polêmicos e brilhantes pensadores da atualidade, Peter Singer, não consegue sustentar bons argumentos a favor das cotas raciais, mas o faz brilhantes quanto às cotas sociais, quanto ao absurdo da discriminação sexual, quanto aos maus tratos aos animais… mas não consegue salvar as cotas raciais simplesmente porque são ‘insalváveis’.
    Dentre tantas coisas ruins que deixaremos aos nossos filhos, uma delas será confrontá-los futuramente com esses absurdos.

  25. Perfeito! Eu tenho a mesma opiniao q a sua. Cotas pra negros e algo desnecessario, conheço pessoas (negras) q nunca precisaram de cotas pra vencer na vida, e hoje sao referencia naquilo q fazem…

  26. olá , amei tudo o que voce escreveu , nao passa de realidades , e se há pessoas ai que te xingam e te julgam pelo que ta escrito , são ignorantes, porque a verdade dói .Na verdade cotas sao sim um preconceito , pois todos os seres humanos, possuem a mesma capacidade , com excessoes de quem possui deficiência mental, e ainda mais separar vagas por cor , ah Brazil onde voce vai parar , Somos todos iguais, isso fnçao faz de nós brasileiros uma naçao , mas sim um retalho de sociedade

  27. Eu sou contra porque essas cotas são apenas pequenas partes de um todo para os negros e índios, sendo que o certo seria direitos iguais para todos 50/50.
    Somos todos humanos e o que interessa é o potencial e não a cor racial.

  28. Adorei o texto, tenho 15 anos e vou fazer uma prova pra uma escola técnica daqui de onde eu moro, eu sempre fui super contra as cotas raciais, porém, nunca tinha lido nada sobre, eu refletia sozinha e achava injusto. Depois que li esse texto tudo ficou mais claro e eu agora tenho mais que nunca certeza de que sou contra o coitadismo. tenho um padastro negro com infância pobre, e logo após ler todo o texto fui conversar com ele sobre o assunto, fiquei impressionada porque ele é muito cabeça dura pra tudo e eu achei que ele ia ser do tipo que é super a favor das cotas e etc. E pra minha surpresa ele me respondeu com um : ”Vá estudar”. fiquei sem intender e perguntei o porque e ele me disse simplesmente que a resposta dele pra minha pergunta é ”vá estudar”, disse-me ele, que independente de ser negro ou não, rico ou pobre, os melhores profissionais são aqueles que passaram por dificuldades na vida, lutaram e batalharam pra chegar a onde chegaram.

  29. Você gostaria de conquistar seus objetivos, pela sua capacidade, conhecimento, ou pela cor da sua pele? parabéns pelo texto, tente relevar os ignorantes.

  30. Tenho que parabenizá-lo pela coerência e coragem em tocar em um assunto que somente em não concordar com as cotas já é chamado/taxado de racistas. Afinal estamos em um país que as minorias estão cada vez mais pressionando a maioria.

    Sou a favor de cotas, desde que SOCIAL, abrangendo todas as etnias.
    Parabéns irmão, siga seu caminho e que DEUS lhe ajude!!!

  31. Acid Black,
    Gostei do blog e vou voltar mais vezes. Vc se expressa muito bem, mas se me permitir, e por favor não me ache chata por isso, gostaria de chamar a atenção para o uso da palavra descendência, que na verdade se refere aos filhos, à prole, e não os que vieram antes. Nesse caso, diga ascendência.
    Beijos!

  32. Acid Black,
    Gostei muito do seu texto. O que os demagogos de plantão não veem, ou fingem que não veem, é que nos EEUU as cotas foram criadas, porque lá um negro era impedido de cursar uma universidade, apenas pelo fato de ser negro, mesmo que tivesse capacidade intelectual. Já no Brasil, nunca ouvi dizer que um aluno negro que tenha passado no vestibular de uma universidade pública, tenha sido impedido de se matricular porque era negro.
    Ao invés de criar cotas, onde a meritocracia é deixada em segundo plano, deveriam implementar ensino fundamental e médio de qualidade na rede pública, pois assim a disputa seria no campo intelectual e não no étnico.

    De acordo com o Censo 2010 do IBGE 50,74%, portanto mais da metade, é composta de negros e pardos. Pergunto: por que “cotas” nas universidades, uma vez que 50,74% não é minoria e sim maioria?

  33. O autor da matéria tem razão, menos no que se refere a argumentação de que todos os brasileiros têm necessariamente ancestrais africanos.

    “No Brasil todos nós temos ancestralidade africana. Repito. Todos nós temos ancestralidade africana.”

    Só um exemplo: tenho um vizinho cujo pai é norueguês e a mãe argentina. Ele nasceu no Brasil, sendo brasileiro portanto.

    Em, um país populoso como o Brasil é muito temerário afirmar que “todos” os brasileiros são descendentes de africanos.

    No mais, convém lembrar que além do que foi dito, a política de cotas raciais é uma afronta à inteligência dos afro-brasileiros. É como se o governo dissesse ao cidadão afrodescendente: “você é inferior e precisa ser tutelado pelo Estado pois de outra forma não terá condições intelectuais de competir com os candidatos de cor branca”. Sabemos que isso não é verdade, prova está são os inúmeros afrodescendentes que ingressaram na universidade ou no emprego público concorrendo em igualdade de condições com os candidatos de cor branca.

    O Brasil, apesar de todos os problemas, nunca teve uma política oficial de segregacionismo racial como os EUA. Nossas crianças sempre estudaram nas mesmas salas de aula nos colégios públicos e particulares, sempre se locomoveram nos mesmos ônibus, felizmente. Por isso não adianta importar do exterior ideologias raciais que longe de favorecer a integração, estimulam o ódio e o privilégio somente por conta da pigmentação da pele.

    Somente um imbecil completo pode supor que alguém é melhor do que o outro utilizando por base a quantidade de melanina que se tem na pele. Nós, brasileiros, somos maiores e melhores do que leis eleitoreiras e oportunistas podem supor. Devemos todos exigir uma política educacional de qualidade, juntamente com segurança pública, moradia digna e saúde pública. Só que isto demanda tempo e dinheiro, então é mais fácil utilizar-se de demagogia e oportunismo visando as eleições de 2014.

  34. Cara muito bom seu texto concordo plenamente com você, seus argumento são ótimos para os comentários ignóbil.. vlw pelo texto me ajudou muito no trabalho de consciência negra..

  35. excelente trabalho, ótima matéria, acho que o pior racismo é a cotas, pois assim mostra que um negro não tem capacidade por si próprio entrar em uma universidade. Somos todos seres humanos iguais, apenas com cores diferentes, mais inteligência são as mesmas, pois conheço muitos negros com uma inteligência de dar inveja, se á cotas para negros, e eles aceitam, eles meso estão se sujeitando ao preconceito pois eles precisam de ajudam para ser igual a um branco? Onde fica a igualdade nessa hora!

  36. Eu sou a favor das cotas, mas seu texto, na minha opinião foi maravilhoso. Particularmente não mudou minha opinião mas não deixa de ser um ponto de vista e uma verdade. Parabéns pelo texto!

  37. Acid Black Nerd, a política de cotas já me incomodou. Sou negra e estudante da Usp, pela segunda vez. Quando entrei pela primeira vez, fiquei feliz ao ter o melhor argumento para justificar a minha presença na faculdade escolhida: a Usp não tem cotas, logo, entrei por mérito próprio. Terminei a minha primeira graduação sem ter que me justificar, afinal as cotas ainda não foram aprovadas. Mas, ao longo do tempo, fui percebendo que tudo isso é uma falácia. O que eu tive mesmo foi sorte. Teria eu nascido na periferia ou a minha família não ter tido o histórico de funcionalismo público que sempre teve, eu não teria condições de ter estudado em colégio particular e feito cursinho, o que com certeza fez toda a diferença para que eu entrasse na Usp. E nem isso me impediu de ser vítima de preconceito.

    Uma coisa muito importante que as pessoas contra as cotas se esquecem é que, logo após a abolição, a sociedade não havia sido liberta de seu pensamento escravista (o que, ainda hoje, duvido que tenha acontecido em algumas esferas da sociedade). Negros ainda eram vistos como escravos, objetos sem valor humano e com valor monetário, que foram segregados da sociedade em todos os aspectos. Depois de libertos, nem mais valor monetário tinham. Sua cultura, sua moradia, sua educação, sua religião, tudo o que constituía o “ser negro” foi empurrado para longe e se tornou marginal, da periferia. E ainda o é hoje em dia. Negros não eram empregados e, quando eram, recebiam salários ínfimos. Logo vieram os imigrantes e os negros já não eram mais necessários.

    As pessoas subestimam o poder do preconceito e da segregação e é só por isso que existem pessoas contra as cotas e a favor da meritocracia em um país tão desigual como o Brasil. É fato que pessoas negras ganham menos. Se negra e mulher, ganha menos ainda. É fato que a grande maioria das favelas e periferias é constituída por população negra. É fato que, mesmo com cotas, a população negra fica muito longe de ter espaço nas instituições públicas do país. Pessoas barram pessoas e, em um país de racismo velado, esse é um comportamento muito difícil de ser acompanhado e inibido. Não desmerecendo o perfil trabalhador dos imigrantes, mas se uma pessoa criada a vida inteira com o pensamento escravista, vindo dos seus pais ou avós, pudesse escolher entra empregar uma pessoa negra e outra branca imigrante, qual seria a escolha mais óbvia?

    É fato também que a maioria da população pobre, seja ela branca ou negra, não tem acesso a educação de qualidade e que, por isso, precisamos de uma reforma na educação. Porém, a probabilidade de uma pessoa branca sem instrução conseguir um emprego melhor do que uma pessoa negra sem instrução é ainda muito maior. Um negro precisa se esforçar bem mais para ser bem sucedido. Não faz muito tempo, saiu uma reportagem na EXAME a respeito de executivos negros. (http://exame.abril.com.br/revista-voce-sa/edicoes/186/noticias/escalada-um-pouco-menos-dificil) Ora, se não temos um problema racial no Brasil, esse tipo de matéria não teria relevância ou razão para existir.

    Trabalho em uma grande multinacional e, tenho que dizer que, sou uma das poucas negras que trabalham fora da área da limpeza. Isso acontece apesar dos programas como Diversity que funcionam como políticas internas de incentivo à diversidade racial e de gênero, pois são muito poucos os negros que preenchem os requisitos para ingressar no mundo corporativo. Além disso, trabalho e convivo com pessoas acostumadas a pagar R$2.000 de mensalidade na faculdade e a frequentar os melhores lugares de São Paulo. Nas fotos do Facebook delas não existem amigos negros. Parece um comentário fútil, mas acredito que através de pequenos detalhes como esse é possível construir uma imagem da sociedade em que vivemos.

    Concordo quando fala sobre o preconceito, o sentimento de injustiça e de que as cotas somente beneficiam os negros da classe média (num geral, pois vi muitos negros que não tinham o dinheiro da condução serem beneficiados e que aproveitaram muito bem a oportunidade). Porém, acho que essas questões podem ser facilmente tratadas com a conscientização da população e com a revisão e endurecimento dos critérios de elegibilidade das cotas.

    Para finalizar, um vídeo muito bom para ajudar a construir a sua opinião sobre o assunto:

    Abraço!

  38. Minha resposta às respostas dadas pelo autor do texto a um dos comentários.

    “1- VOU DEIXAR BEM CLARO MAIS UMA VEZ, NÃO SOU CONTRA COTAS, SOU CONTRA AS COTAS RACIAIS (OU EM VIRTUDE DE QUALQUER OUTRO CLASSISMO). CREIO QUE QUEM DEVE RECEBER A COTA É O POBRE, INDEPENDENTE DE COR, SEXO, CREDO ETC.”

    O problema, é que nesse Brasil o ser pobre DEPENDE muito da cor. Ou é por acaso que a maioria dos negros são pobres, e dos brancos são a classe média? Ou é a toa que a maioria das favelas são majoritariamente constituídas de negros?

    “Por isso que sempre alerto para as pessoas de cor da minha família: não aceitem cotas ou outras armadilhas do governo, estudem!”

    Pergunta: Quer dizer que se uma pessoa não entra na Universidade é por que ela não estuda? É por que não é batalhadora/não se esforça o suficiente?

    Adendo: Diz aí, não é muita coincidência que a maioria das universidades são majoritariamente constituídas por brancos? Nas mesmas universidades, olhe os trabalhos como Faxina, Segurança, Obras, e outros considerados (erronemanete) de “baixo valor agregado”, por isso DESVALORIZADOS.. Nestes lugares sim, dentro da universidade, encontramos os negros e negras. ISSO NÃO É COINCIDÊNCIA! É CONSTRUÇÃO SOCIAL.

    Resposta: achar que a resposta é sim para esta pergunta, considerando o adendo como um fato, é dizer que os negros e negras (minoria nas universidades) são menos capacitados que brancos e brancas (maioria nas universidades), e que negros e negras se esforçam menos que brancos e brancas (já que a maioria negra é pobre e a maioria branca é de classe média/alta). É dizer que os negros e negras estudam menos já que não estão nas universidades. ESSA RESPOSTA, SIM, É RACISTA.

    Já para quem responde que não, tiramos duas conclusões:
    Primeira: acesso às universidades é FALSAMENTE por mérito. Na verdade, é uma peneira que seleciona apenas aqueles que tiveram boas condições de vida (maioria que passa) ou aqueles que se mataram para conseguir estudar e passar (minoria que passa).
    Segunda: os negros e negras estão em péssimas condições se comparados aos brancos e brancas. Isso significa: SEGREGAÇÃO RACIAL.

    Bom, somada essas duas conclusões, podemos:
    1) IGNORAR isso e acreditar que um dia as coisas vão mudar por si só.
    * Lembro que a Abolição da Escravatura aconteceu em 1988 e que desde lá não houve mudanças reais quanto a segregação existente.
    - Nesta ação, declaradamente excluímos e damos como perdidos todos os negros e negras que não possuem condições (que é diferente de esforço) nem se quer esperanças para entrar numa Universidade e crescer na vida (tanto economicamente quanto em direitos). – não vale colocar exceções como regras.
    2) RECONHECER isso e pensar em políticas públicas para mudar essa situação.
    * Disso se tratam as cotas, por exemplo. Entrando na universidade, o(a) jovem negro(a) passa a ter melhores expectativas. E estes passam a ser referências à outros negros e negras, e assim as coisas se acertam mais rápido.
    - Esta política de cotas, embora não seja perfeita, é um grande passo e avanço na diminuição da segregação racial existente no Brasil. Cotas de nenhuma maneira exclui o falso mérito do vestibular. Na verdade, apenas reserva um tanto de vagas para os supostos “melhores” dentre os que querem ser cotistas. O acesso às universidades continua sendo restrito, e assim, a diferença que as cotas trarão é a diminuição das diferenças sociais causadas historicamente pela cor dos seres humanos, e não a diminuição da qualidade das universidades.

    Cotas não é um privilégio, pois NÃO HÁ pontuação maior pra negro e negra. A pontuação é igual pra todos de cada curso de cada universidade.

    Cotas não é sobre um mito… é sobre uma realidade: SEGREGAÇÃO RACIAL E ECONÔMICA. Lutar contra as cotas é ignorar essa segregação, é negar uma nova opção de vida aos negros e negras e é acreditar que se existe segregação não é por conta da construção social (que só se resolve, no caso, com políticas afirmativas), mas é por que os negros e negras merecem estar onde estão (maioria na pobreza, nas favelas e ruas, em péssimas condições de vida) enquanto os brancos e brancas usufruem das universidades, dos empregos mais valorizados, de uma saúde melhor, de transportes melhores e, por fim, de melhores condições de vida.

    Grata,

    • Cara Raissa,

      1- O racismo existe no Brasil, menos do que nos EUA, e aqui ele é mais escondido. Medidas como cotas não só alimentam o racismo como também a identificação racial, além de criar um sentimento de revanchismo entre “classes” que nem classes são.

      2- Eu não escutei isso, eu vi. Quando o Garotinho aprovou as cotas as pessoas da minha sala agradeceram a deus dizendo que agora não iam precisar estudar tanto pra passar. Que lição isso mostra? Cotas dão segurança as pessoas que elas não precisarão se esforçar tanto para cumprir o mesmo objetivo das demais. Desta forma a pessoa já ingressa na Universidade por baixo.

      3- As pessoas mais racistas que conheço são aquelas que veem raça em tudo. Pra mim não existem pobres negros e brancos, existem pobres. Digo isto porque a cor da pele da pessoa não interfere em seu potencial. Entre um negro capacitado e um branco incauto não há no mundo alguém que não escolha o negro. Por isso minha ênfase que a saída é o ensino público de qualidade. Cotas nada são mais do que um jeitinho brasileiro.

      Abraços!

  39. As pessoas ainda não entenderam que a política afirmativa que aprova cotas raciais para o sistema de ensino no Brasil, não está preocupado em resolver o problema em si, debatido aqui, está preocupado em mostrar que algo está sendo feito para diminuir o referido problema, desigualdade socioeconômica e inclusão social. Essa manobra do governo que muita gente não enxerga, é vista como uma esperança a mais para os cidadãos que enxergam e sentem o preconceito na questão social no Brasil, e acabam aprovando a ideia de que, cotas raciais resolvem ou compensam uma questão tão importante, é pura ilusão, falar sobre cotas raciais, é falar em migalhas econômicas de interesse do próprio governo em alienar o cidadão, nós humanos, me revolto em dizer isso, mas a culpa em termos é nossa, o que quero dizer é que temos que ir a fundo nisso, tratar a raiz do problema. Existe sim muitos argumentos para que se adote as cotas raciais, e é nisso que se aprofunda o erro, os elementos que se aprovem as cotas raciais são claros e fortes, mas os elementos que fundamentam as mesmas como uma solução, ou um começo, são fracos ao meu ponto de vista, sairia muito mais caro uma reforma no sistema educacional, mas muito mais eficiente e eficaz, e não há quem não concorde com isso, somos reféns do sistema mas não temos que engolir manobras causadoras de polêmicas, fica claro pra mim que isso é só pra redução de custos, nada mais, não há preocupação, não há remorso, não há eficiência e muito menos eficácia. Sou contra cotas raciais isso é uma legalização da discriminação e fere meu senso racional como ser humano.

    Parabéns pelo texto.

  40. Excelente! A competencia INDEPENDE de raca,cor,religiao,etc… e v. demontra isso nesta bela ana’lise. Permita-me uma observacao- os negros foram importados da Africa com anuencia e negociacao com os negros SENHORES,`DONOS` desses infelizes que foram trazidos pelos portugueses a partir de 1530 ao Brasil; ja muitos imigrantes com falsas promessas foram trazidos por brasileiros de fato[italianos,japoneses e outros];entao por coerencia esses imigrantes tambem deveriam ter direito `as cotas; os USA sao os que mais imigrantes tem,com inumeras cidades com mais estrangeiros de todo canto do mundo do que americanos; no Brasil ja’ esta’ havendo muitas desistencias de cotistas por falta de base e por ultimo, no fundo, bolsas,cotas e cia tem forte conotacao elelitoreira[sao milhoes de votos garantidos].

  41. Cara seu texto é perfeito, você falou uma de várias coisas que eu penso sobre as cotas, (Tem muito negro rico se beneficiando ainda mais com as cotas) é por isso que eu sou contra as cotas. Valeu cara é bom saber que tem muita gente pensando a mesma coisa que eu penso, e não tem medo de expressar sua opinião. Muito obrigado pela aula que você deu aí vllw mesmo. PARABÉNS!

  42. É sempre bons sites que incentivem o debate deste assunto. Para aqueles que ainda não viram este vídeo, recomendo.
    São quatro negros dando suas opiniões sobre as cotas raciais. O Helio de Pena, o Morgan Freeman e dois economistas que defendem o livre mercado (Thomas Sowell e walter williams). Quem interessa sobre o assunto, aconselho procurar mais sobre estes dois economistas citados pois os mesmos apresentam artigos científicos mostrando o desastre das políticas de afirmação.

  43. Caros amigos,
    Em primeiro lugar sou de confissão judaico cristã, e primo por seus princípios.
    Em segundo lugar, tenho bases ideológicas marxistas.

    Espero que não rejeitem meu posicionamento, que foi o apresentado por mim no curso de Ciências Econômicas em 1997 na U.F.PR. ao mestre de introdução a Economia logo no primeiro ano, dessa forma protagonizando a justiça aos lesados descendentes de escravos.

    Propus um fundo indenizatório contra o capital acumulado de origem de mão de obra escrava no Brasil e, que poderia estender- se aos países que escravizaram os africanos, esse capital pode ser claramente rastreado:
    1. Seria uma forma extremamente eficiente de combater a concentração crônica da renda, a qual, sem dúvida possui uma férrea inércia para exclusão social.
    2. Somos uma Democracia, portanto o Estado não tem o direito democrático e constitucional de impor leis que vão contra os interesses da maioria.
    3. Se o Estado representa o povo, este deve orientar- se por consulta ao povo.
    4. A pobreza não tem raça nem cor, e há muitos brancos pobres no mundo inteiro.
    Considerem o percentual estatístico de concentração de renda, há muitos brancos pobres marginalizados.
    5. O ônus de indenizar os negros cabe ao capital privado, portanto. Há paralelos políticos hediondos no caso do trabalho escravo em Auschwitz contra grandes empresas alemãs.
    6. Todos os Estados que usaram de mão de obra africana sofrem até hoje conseqüências econômicas da má distribuição de renda. Se aplica aos Estados Unidos apenas aos Estados do sul, que foram derrotados na Guerra da Sesseção, mesmo assim há um nítido contraste entre eles até hoje.
    7. Todo o povo é afetado pela má distribuição de renda e, políticas demagógicas não resolverão o crônico problema brasileiro do topo da exclusão social.

    • Caro ED, obrigado pelo comentário.

      Sua proposta de fundo me pareceu válida, por mais que de dificílima implementação. Creio que também poderia gerar uma série de situações bizarras, mas parabéns pela proposta. Inteligente.

  44. CONCORDO COM TUDO QUE VC ESCREVEU, DISSE A REALIDADE.

    SOU BRANCO, MAS, TENHO CABELO CRESPO(DO MAIS ENROLADO), OLHOS CASTANHOS, LÁBIOS GROSSOS ETC…MINHA MÃE E PARDA COM TENDENCIA PARA NEGRA, SOU DE FAMÍLIA HUMILDE PARA POBRE….ESTUDEI A VIDA INTEIRA EM ESCOLA PUBLICA…NÃO CONSEGUI ENTRAR EM UMA FACULDADE PUBLICA…TRABALHO EM UM SUB-EMPREGO…GANHO UM SALÁRIO BAIXO…DEPENDENDO ATÉ HOJE DO MEU PAI PARA ME SUSTENTAR…HÁ TENHO 25 ANOS E SOU FORMADO(VOU PAGAR MEU FIES até 2017)…não consigo arrumar emprego na minha formatura. Cade minha cota… cadê minha chance…. o Brasil esquece que para sustentar uma minoria que se acomodou, ele tem que sacrificar uma maioria que não deu sorte de ter os antepassados da cor ou etnia certa.
    Que tal Governantes Brasileiros (Cotistas), pegar todo mundo que não se encaixa em alguma cota feita por vocês, por em navios ou aviões e mandar de volta para EUROPA,JAPÃO….etc e tal, de onde os brancos nunca deveriam ter saído, e deixar esse país para os menos desafortunados, que sofrem com o preconceito…
    Infelizmente hoje, se já não bastasse:violência, corrupção, alta carga tributária, concorrência em tudo, agora o governo quer corrigir os erros do passado, inflingindo um fardo que ele mesmo não quer carregar nas pessoas erradas (pessoas que não tiveram a sorte de ter características fenotípicas certas manifestas, mas, que tenho certeza que se fizerem exames, carregam em seu DNA os genes de negros, índios, etc…
    GOVERNANTES, EM VEZ DE AJUDAR APENAS ALGUNS POUCOS, AJUDEM TODOS OS BRASILEIROS.
    CHEGA DE SACRIFICAR A CLASSE MÉDIA…
    SE TIVER COTA QUE SEJA COTA PARA “CLASSE MÉDIA”.

    GRATO.

  45. Caros amigos.
    Obrigado pela consideração.

    A psicologia tem provado que o racismo está arraigado no ID ( inconsciente freudiano) e, passa a ser quase biológico, um gene para o racismo.
    O preconceito que se prolonga por seculos passa ao inconsciente coletivo.
    As cotas só pioram o estigma da inferioridade racial. Soa como hipocrisia, tentar livrar- se dos instintos que tentamos esconder.
    Quanto a implementação do fundo indenizatório, cabe aos capitalistas que remontam aos colonizadores escravagistas ( japoneses e europeus não portugueses não participaram do processo exploratório).

    A agroindústria responde por quase metade do PIB brasileiro, e com eles está o sangue dos africanos. Alguns migraram para outras indústrias.
    Já ouviram falar da taxação das grandes fortunas nos Estados Unidos?
    No Brasil, os ruralistas são uma bancada forte na política. Nossa democracia já foi contaminada por eles, e eles são muito ativos nas decisões da câmara e senado.
    O Japão, por exemplo tem nas pequenas empresas a maior parte do PIB.
    Grandes empresas já nos prejudicaram demais, precisamos de pequenos empreendedores e incentivos ainda maiores para desenvolver os microempresários e dar- lhes condições de competitividade.

    Toda raça tem seus grandes homens, e seus grandes canalhas.

  46. Primeiramente, concordo com tudo que foi digitado e parabenizo pelo texto muito bem executado, porém gostaria de fazer uma pergunta… Existe alguma forma de parar esse projeto que esta em aprovação?

  47. Perguntaram para mim quantos negros há nos melhores clubes da sua cidade? No mais top, com cerca de 2000 sócios, 4. No outro com mais ou menos 500, 3. Respondam a essa questão, analisando essa questão nas suas cidades. E sabe qual é o problema fundamental desse ponto? Não é o racismo, mesmo. É a diferença gritante das classes, que descrimina cerca de 70% dos cidadãos e faz com que nos 2 ou 3 melhores clubes de uma cidade, apenas os que tem boas condições financeiras adquiram um título e arquem com uma mensalidade salgada.
    Sou a favor das cotas sociais para ingresso nas universidades, para quebrar um ciclo vicioso de desigualdade social, mesmo considerando um critério injusto quanto à meritocracia. Vejo ser uma forma de permitir em longo prazo, que os menos favorecidos tenham uma chance de uma vida um pouco mais digna, mesmo à custa de uma medida injusta. Ponho na balança essas injustiças e chego à conclusão que a injustiça cometida com cerca de 20% de candidatos, é infinitamente menor que a injustiça que a sociedade comete com mais de 70% da nossa população. Não precisaria concluir que sou contra as cotas raciais.

  48. Para entrar na universidade preferi utilizar minha mente ao invés de apelar p/ cor da pele. A cor da pele de uma pessoa não influencia sua capacidade cognitiva, sou contra as cotas raciais. Parabéns pela discussão do tema tão polêmico!

  49. Parabéns pelo texto…foi muito bem escrito e é exatamento o que eu penso. Também sou contra as COTAS RACIAIS, pois cérebro não tem cor . Cota racial nada mais é do que chamar as pessoas negras de burras e incapazes de passar para uma faculdade por mérito próprio. Assim como existem pessoas negras pobres, existem brancas pobres. O correto seria fazer uma reforma no Ensino , assim todos (brancos, negros, índios, pardos, japoneses,etc…) teriam chances iguais. Se nós agora temos que “reparar” uma coisa que já aconteceu há muito tempo, imaginem a Alemanha (RItler), teriam que inventar cotas para o mundo para reparar o danos que aquele louco causou aos Judeus, negros, gays, deficientes, etc….

  50. Cara, vc falou muito bem. É gratificante ver que ainda existem pessoas que conseguem expor seus pensamentos com argumentos válidos e de modo inteligente. Vc está de parabéns. É o retrato da realidade. Valeu!

  51. Excelente. Eu nunca tinha pensado no item 9. Sempre fui contra cotas raciais, é injusto. Sou concursada e no mesmo concurso que eu fiz tem muitos que entraram por cotas para negros que sempre estudaram em escolas particulares, tiraram notas inferiores a dos brancos e ainda assim ficaram com a vaga. Agora imagine um branco pobre que estudou muito para o concurso se classificou, mas perdeu a vaga para um negro rico que só entrou por ”mérito” da cor. Não importa a desculpa que deem, privilegiar alguém pela sua cor sempre foi e sempre será injusto.

  52. Parabéns por escrever esse texto tão rico de informação e de verdades, nunca havia pesquisado a fundo sobre os fundamentos para gerar a cota, mas admiro sua posição e até a está concordo contigo. Bom, li quase todos os seus comentários e admirei muito mais pela sua capacidade de lidar com os que são contra e os que são ignorantes e além disso é bem verdade que o Brasil precisa de melhor educação e não as cotas.
    Poderia fazer um poster citando a copa, bom como brasileira é uma honra ter no seu país, mas não se concorda comigo que a situação do Brasil tanta na educação, segurança como na saúde tá uma bosta e não fazem nada para melhorar, muita injustiça rios de dinheiro sai fácil pra uma copa e nem cadinho vem melhorando a situação que deveria melhorar, posso até ser muito critica mais assim que vejo….

  53. Olá! li seu texto e devo dizer que apesar de entender seus pontos, acho que você está sendo um bocado superficial! durante muito tempo também fui contra cotas raciais e concordei com muito do que você disse, até entender que existe, de fato, diferença entre branco pobre e preto pobre, que existe racismo entre a população brasileira e que isso precisa mudar. eu concordo que talvez as cotas não sejam a melhor solução. mas é uma maneira de trazer os negros perto de nós brancos, eu estudei toda uma vida em escolas particulares e não convive com negros, meus pais não tem colegas de trabalho negros, onde diabos estão esses negros?

    estão sofrendo racismo, estão sendo deixados de lado e sofrendo bullying na escola, estão sempre sendo perseguidos por policiais e sendo considerados como inaptos. os negros são vistos com maior delinquência que os brancos independentemente de sua classe social, não importa se estamos falando de um negro que está bem vestido e tem uma vida bacana, ele também vai sofrer preconceito! eu acho que tá na hora de colocar negros na sala de aula, negros na minha vizinhança, negros gerenciando bancos e empresas. nós brancos tivemos essa posição por muito tempo e mal reparamos que não temos negros, que são a enorme maioria brasileira, convivendo entre nós, e quando temos, estranhamos e sentimos medo. é por isso que sou a favor, também, das cotas raciais!

    enfim, tá ai sua resposta sem xingamentos sobre seu posicionamento político! espero que a leve em consideração! {;

    • Quanto coitadismo.

      Já passou da hora de nos referirmos às pessoas pela cor da pele delas… quanto mais se basear nisso para políticas públicas.

      Cotas só alimentam o racismo pois reforçam a identificação racial na sociedade quando na verdade não existe raça.

      Só teremos um país justo quando tivermos educação de qualidade -não cotas- para TODA a população, independente de cor, credo e etc. Apenas assim seremos uma nação que terá condições de dar oportunidade aos seus cidadãos que se valem pelos seus próprios méritos.

  54. Gostei da sua posição. Também sou contra cotas raciais porque acredito que é uma atitude racista. Cota para negro subestima sua capacidade. O Brasil é um país onde não existe raça pura, somos todos misturados , negro não é minoria . O sertão do norte e Nordeste são os mais afetados pela precária educação do país e lá não existe grande concentração de negros. Como ficam essas pessoas?
    Se a educação básica ( até segundo grau) for precária de que adianta ir para uma universidade? Se investir e a educação pública no país melhorar aí sim todos terão a mesma oportunidade.

  55. BOA TARDE. o MAIS ESTRANHO É QUE AS PESSOAS INSISTEM EM DIZER QUE CONCURSO PÚBLICO MEDE A CAPACIDADE DE ALGUÉM. CONCURSO PÚBLICO MEDE O PREPARO PARA A PROVA. MAIS PREPARADO ESTARÁ O CANDIDATO QUE TIVER MAIS PRIVILÉGIOS, TAIS COMO TEMPO PARA ESTUDAR, CURSINHOS PREPARATÓRIOS, AULAS DE EXERCÍCIOS, ENFIM…… PAITROCÍNIO! COTAS JÁ NA ÁREA FEDERAL TAMBÉM! LIBERDADE, AINDA QUE TARDIA!

  56. nunca vi uma pessoa tao ignorante e invejosa quanto o autor desse texto, por favor que medo é esse de perder vagas para os negros, qual é o grande problema nisso, o numero de vagas deles

  57. Bom ver um lugar onde se pode discutir com liberdade, na maioria das vezes ao abordar esse tipo de assunto sempre tem um para falar que é racismo que é preconceito sem dar argumento algum, isso é muito ruim pois acaba “censurando” o tema.
    O seu 2° argumento parti do princípio que os brancos de hoje não devem pagar pelos atos de seus antepassados, dá para acrescentar que boa parte dos brancos pobres(sobre quem as cotas pesa) são descendentes dos imigrantes que vieram após a abolição da escravidão e também existiam vários brancos que não tinham escravos em épocas anteriores, nem todos brancos se aproveitaram do trabalho dos negros mas todos são colocados como culpados pela escravidão!

    Eu acho que cotas raciais nas universidades até são viáveis como solução temporária, mas não acho justo coloca-las na hora de arranjar emprego.

Comente com polidez!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s